''Nossa aliança é com o povo'', diz candidata do PV

Marina lamenta não haver conseguido apoio formal do PSOL e admite que não terá coligação com outros partidos

Ricardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2010 | 00h00

Em sua primeira entrevista coletiva como candidata oficial à Presidência da República este ano, a senadora Marina Silva, do PV, repetiu o discurso de lançamento de sua candidatura, realizado na quinta-feira, em Brasília. "O Brasil está pronto para ter a primeira mulher na Presidência da República", disse ontem, em Maceió.

Na coletiva, Marina lamentou não ter conseguido uma aliança com PSOL e disse que dificilmente o partido consiga aliança com outros partidos na chapa presidencial. "No projeto nacional, nossa aliança é com o povo, não temos coligação com nenhum partido. Nos Estados, há algumas especificidades. No Acre, por exemplo, nós apoiamos o senador Tião Viana, candidato ao governo pelo PT", afirmou. E defendeu a candidatura de Heloísa Helena ao Senado, pelo PSOL.

Questionada sobre os recursos para sua campanha, estimados em R$ 90 milhões, Marina disse aparentemente é muito dinheiro, mas em comparação com os gastos estimados por seus adversários, os recursos são escassos. Mesmo assim, disse que sua campanha terá uma lógica franciscana: "muitos contribuindo com poucos". Ela avaliou ainda como muito positivo nesse começo de campanha os 12% que conseguiu nas pesquisas de intenções de votos.

Título e palestra. Após a coletiva, Marina recebeu o título de cidadã honorária de Maceió. A indicação da homenagem foi do vereador Sílvio Camelo (PV). A entrega do título foi realizada na sede da Associação Comercial de Maceió.

Antes da coletiva e da homenagem, Marina fez uma palestra sobre desenvolvimento sustentável no 82.º Encontro Nacional da Indústria da Construção, no Centro de Convenções e Exposições Ruth Cardoso, no bairro de Jaraguá.

Em sua palestra, que teve como temas meio ambiente, infraestrutura e desenvolvimento urbano, disse que é fundamental colocar em prática um Plano de Desenvolvimento Sustentável. "Quero estender para o Brasil o plano de desenvolvimento que preparei para a Amazônia, para garantir o progresso e o bem estar social, mas sem agredir o meio ambiente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.