REUTERS/Rahel Patrasso
REUTERS/Rahel Patrasso

Notícias do dia: 1ª morte no Brasil, Bolsonaro x coronavírus, fronteiras e internação compulsória

Ronaldinho Gaúcho, ministro Celso de Mello e Vladimir Herzog também foram assuntos desta terça-feira, 17 de março

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2020 | 20h18

A pandemia do coronavírus avança e já foi confirmada a primeira morte causada pela doença no Brasil. Bolsonaro segue minimizando o impacto do novo vírus. Na Europa, fronteiras ficarão fechadas por ao menos 30 dias. No Brasil, apenas a fronteira com a Venezuela deve ser interditada. Leia também sobre o caso de Ronadinho Gaúcho no Paraguai, internação do ministro do STF Celso de Mello e a morte de Vladimir Herzog.

Veja abaixo a lista das principais notícias do 'Estadão' nesta terça-feira, 17 de março de 2020:

1. Brasil tem primeira morte por coronavírus

Foi confirmada nesta terça-feira, 17, a primeira morte em decorrência do novo coronavírus no Brasil. O paciente era um morador de São Paulo, com diabetes e hipertensão, que não estava na lista oficial de infectados. O Ministério da Saúde contabiliza, até o momento, 290 casos e 8,8 mil suspeitas da covid-19 no País. Ao menos outras quatro mortes em SP e uma no Rio são investigadas por possível relação com o vírus.

2. 'Histeria' ou 'gravidez': as declarações de Bolsonaro sobre o coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro criticou 'alguns governadores' e voltou a chamar de 'histeria' a crise provocada pelo coronavírus. Ele criticou medidas de isolamento que, em sua opinião, vão prejudicar a retomada econômica e deixar trabalhadores informais desassistidos. Mais tarde, comparou a pandemia a uma gravidez: ‘Um dia vai nascer a criança’. Nesta quarta-feira, o presidente deve participar de duas entrevistas coletivas com ministros e chefes de outros Poderes.

Leia também: Maia defende fechamento de fronteiras e plano de contingenciamento para SP e RJ

3. Governo vai fechar parcialmente a fronteira do Brasil com a Venezuela

Bolsonaro afirmou que o governo vai fechar a fronteira com a Venezuela. em função do avanço do coronavírus. A medida deve ser publicada nesta quarta-feira, 18, pelo governo. A decisão, segundo o presidente, se restringirá ao país comandado por Nicolás Maduro por ser o local "mais sensível". 

4. União Europeia decide fechar fronteiras por 30 dias

Os países membros da União Europeia decidiram por unanimidade proibir durante 30 dias a entrada de pessoas que não pertencem ao bloco, para conter a pandemia do novo coronavírus. A medida foi anunciada pela primeira-ministra alemã, Angela Merkel. O fechamento das fronteiras ocorre no momento em que, pela primeira vez, o número de casos e de mortes pela covid-19 é maior em outras países do que na China. Segundo monitoramento da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, foram registradas, em todo o mundo, 7.074 mortes pela doença. Dessas, 3.217 ocorreram na China.

5. Governo formaliza internação compulsória para coronavírus e punição com prisão 

O Ministério da Justiça anunciou portaria para tornar compulsória a quarentena e internação por suspeita do novo coronavírus no Brasil, com sanções que podem levar até a prisão de quem desrespeitar as recomendações. As medidas de prevenção ao covid-19 poderão ser impostas por agentes locais de saúde, sem necessidade de decisão judicial. Em caso de recusa ou desobediência, os gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS), os profissionais de saúde, os dirigentes da administração hospitalar e os agentes de vigilância epidemiológica também poderão solicitar auxílio de força policial.

6. Serra vai apresentar decreto legislativo para calamidade pública

O senador José Serra (PSDB-SP) apresentará até amanhã decreto legislativo propondo que seja reconhecido o estado de calamidade pública no País por causa dos efeitos da pandemia do novo coronavírus. Enquanto perdurar a situação, fica dispensado o atingimento dos resultados fiscais (como a meta fiscal) e a necessidade de bloqueio das despesas. O Estado antecipou que essa é uma possibilidade em estudo pela equipe econômica.

7. Decano do Supremo, Celso de Mello é internado em hospital de São Paulo

O decano do Supremo Tribunal Federal, ministro Celso de Mello, se encontra internado nesta terça-feira, 17, em hospital em São Paulo em razão de um quadro infeccioso, informou o gabinete do ministro em nota. “A patologia não tem relação com a cirurgia a que o ministro foi submetido em janeiro passado nem com o novo coronavírus”, informou a assessoria de Celso de Mello.

8. PT rejeita ‘Fora Bolsonaro’, mas vê possibilidade de impeachment

O diretório nacional do PT rejeitou proposta de correntes minoritárias para que o partido passe a empunhar a bandeira ‘Fora Bolsonaro’. No entanto, segundo resolução política divulgada nesta terça-feira, 17, a legenda avalia que as investigações conduzidas pela CPMI das Fake News, sobre suposto esquema ilegal de divulgação de mentiras contra os adversários, e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, sobre o possível envolvimento da família presidencial com milícias, podem levar ao impeachment do presidente.

9. Entenda como está o caso de Ronaldinho Gaúcho no Paraguai

Um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro, Ronaldinho Gaúcho se encontra atualmente preso numa cadeia em Assunção, no ParaguaiEle deixou os gramados, mas seus fãs jamais o esqueceram. Seus dribles e sua genialidade com a bola nos pés o transformaram em uma estrela mundial. No Brasil, o astro é Embaixador do Turismo do governo Bolsonaro e, por enquanto, mantém o cargo, apesar das investigações. Desde quarta-feira passada, no entanto, o astro virou assunto nas páginas policiais e foi parar na prisão, por suspeita de usar documentos falsificados no Paraguai.

10. Procuradoria denuncia seis por tortura e morte de Vladimir Herzog

Ministério Público Federal (MPF) denunciou seis pessoas pelo assassinato do jornalista Vladimir Herzog, ocorrido em 1975 na sede do Doi-Codi em São Paulo durante a ditadura militar. O caso foi acobertado por laudo forjado que dizia que Herzog havia se suicidado durante a detenção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.