Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Notícias do dia: Bolsonaro x coronavírus, 11 mortes no Brasil e a revisão do PIB

Calamidade pública, colapso do sistema de saúde, suspensão de cultos, leitos no Pacaembu e Anhembi, ajuda às aéreas, Bolsa Família e a morte de brasileiro vencedor do Nobel da Paz também foram assuntos nesta sexta-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2020 | 19h55

Em um dia, o Brasil teve aumento de 45% nos casos de novo coronavírus. O Senado aprovou decreto de calamidade pública no País. O governo reduziu a previsão do PIB para 0,02% neste ano. Em coletiva, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que o sistema de saúde entrará em colapso em abril. Na contramão, o presidente Jair Bolsonaro minimizou a pandemia e chamou o coronavírus de 'gripezinha'.

Leia também sobre o pedido da suspensão de cultos, a criação de leitos no Pacaembu e Anhembi, a suspensão dos bloqueios no Bolsa Família, medidas para ajudar as companhias aéreas e a morte de brasileiro vencedor do Nobel da Paz

Veja abaixo a lista das principais notícias do 'Estadão' nesta sexta-feira, 20 de março de 2020:

1. Brasil tem 11 mortos por coronavírus confirmados e 904 infectados

O número de mortes confirmadas por coronavírus em São Paulo subiu para nove. Com os novos registros, o número de mortes por coronavírus no País sobe de seis para 11. O número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil também aumentou. De acordo com o Ministério da Saúde, subiu de 621 casos para 904. O índice de letalidade está em 1,2%.

2. 'Em abril o sistema de saúde entrará em colapso', diz Mandetta

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que até o final de abril o sistema de saúde brasileiro pode entrar em colapso pela epidemia do novo coronavírus. "Colapso é quando você tem dinheiro, mas não tem onde entrar (nos hospitais)", afirmou, Mandetta, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Eles participaram de videoconferência com empresários sobre medidas de enfrentamento ao coronavírus.

Leia também: Ministério da Saúde declara estado de transmissão comunitária de coronavírus em todo o País

3. Governo reduz previsão de alta do PIB para 0,02% em 2020

Menos de dez dias após baixar para 2,1% a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, o governo federal revisou novamente sua estimativa e passou a prever uma expansão de apenas 0,02% para este ano, ou seja, uma estabilidade. Sob estado de calamidade pública por conta do novo coronavírus, o rombo das contas públicas é inicialmente estimado em R$ 161,623 bilhões em 2020, informou o Ministério da Economia.

Leia também: Brasil passará por recessão no primeiro semestre por causa de covid-19, prevê Ministério da Economia

4. Governo suspende bloqueios e cancelamentos no Bolsa Família por 120 dias

O Ministério da Cidadania  Onyx Lorenzoni anunciou, por meio de uma nota à imprensa, que suspendeu por 120 dias (quatro meses) qualquer tipo de bloqueio, suspensão ou cancelamento de benefício do Bolsa Família. Procedimentos de averiguação e revisão cadastral também serão interrompidos. 

5. Senado aprova decreto de calamidade pública por coronavírus

O Senado aprovou o decreto de calamidade pública no País. O pedido foi feito pelo governo do presidente Jair Bolsonaro para permitir aumento de gastos no combate ao novo coronavírus. Até quinta-feira, 19, os dados apontavam sete mortes pela covid-19 no Brasil.

6. Medidas para áreas são gradativas por conta de limite financeiro, diz ministro

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que as medidas de auxílio ao setor aéreo frente a crise do novo coronavírus precisam ter uma "gradação" para que o governo possa acomodá-las em seu limite financeiro. "Tem que ter gradação para a gente acomodar no nosso limite da possibilidade financeira", disse. 

7. Bolsonaro: 'Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar'

O presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar nesta sexta-feira, 20, a pandemia da covid-19, que já matou mais de 10 mil pessoas no mundo, e tratou a doença como uma "gripezinha". "Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar", disse o presidente após o Estado questioná-lo, em entrevista no Palácio do Planalto, a razão de ele não tornar público os resultados dos seus exames.

8. Pacaembu e Anhembi vão virar hospitais de campanha para o coronavírus

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) anunciou que vai implementar hospitais de campanha em dois locais da cidade: no estádio do Pacaembu e no Anhembi. De acordo com Covas, os hospitais de campanha vão contar com parceria do hospital Albert Einstein. Serão leitos, de acordo com ele, de baixa complexidade e os locais serão refrigerados. O Pacaembu será coberto e terá 200 leitos. No Anhembi, serão 1.800 leitos. 

Leia também: Jogadores de futebol aderem a campanha do governo de São Paulo no combate ao coronavírus

9. Após desafio de Malafaia e Edir Macedo, MP cobra suspensão de cultos em SP

Após as declarações do líder da Igreja Universal, Edir Macedo, e do pastor da Assembleia de Deus, Silas Malafaia, o Ministério Público Estadual de São Paulo pediu à Justiça que obrigue as gestões Bruno Covas (PSDB) e João Doria (PSDB), a tomarem medidas administrativas contra a realização de cultos religiosos em meio à pandemia de coronavírus.

10. Brasileiro vencedor do Nobel da Paz morre em NY vítima do coronavírus 

O especialista em bioenergia Sérgio Campos Trindade morreu na quarta-feira, 18, aos 79 anos, em Nova York, em decorrência de complicações associadas ao coronavírus. O engenheiro químico recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2007 ao lado dos integrantes do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) pela luta na preservação do meio ambiente e a divulgação do conhecimento sobre mudanças climáticas e os efeitos no planeta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.