Montagem/Estadão
Montagem/Estadão

Notícias do dia: celebração do golpe, Temer denunciado, militar no MEC, desemprego, Agnès Varda

Acordo do Brexit rejeitado mais uma vez, Paulo Gustavo em programa de TV e fim do casamento de Nicolas Cage com Agnès Varda também foram destaques desta sexta-feira, 29

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2019 | 20h23

SÃO PAULO - O ex-presidente Michel Temer (MDB) e o ex-ministro Moreira Franco foram denunciados pela força-tarefa da Operação Lava Jato nesta sexta-feira, 29. Em Brasília, uma juíza proibiu os atos de comemoração do aniversário do golpe militar de 1964 e o presidente Jair Bolsonaro (PSL) nomeou um militar para o segundo cargo mais importante do Ministério da Educação (MEC). Na área de economia, o desemprego subiu e o número da população desocupada no País passou de 13  milhões. Já no mundo das celebridades, o ator e humorista Paulo Gustavo chorou na TV ao relembrar o momento em que se assumiu gay e Nicolas Cage decidiu anular o breve casamento com Erika Koike. O cinema se despediu da diretora francesa Agnès Varda.

Quer saber os fatos mais importantes do dia? Confira abaixo as principais notícias desta sexta:

Temer denunciado por corrupção, peculato e lavagem de dinheiro

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF-RJ) denunciou criminalmente o ex-presidente Michel Temer (MDB), o ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia) e outros investigados por supostos desvios de R$ 18 milhões nas obras da usina nuclear de Angra 3. Temer e Moreira são alvo da Operação Descontaminação - desdobramento da Lava Jato. Segundo a força-tarefa, na madrugada anterior a sua prisão, Temer mandou mensagem para o celular de Moreira. Os procuradores suspeitam que os dois emedebistas sabiam que estavam sob espreita da Lava Jato.

Comemoração do golpe de 1964 barrada

A juíza Ivani Silva da Luz, da 6ª Vara da Justiça Federal em Brasília, decidiu proibir os atos de comemoração do aniversário de 55 anos do golpe militar de 1964. Em decisão liminar, a juíza atendeu a um pedido apresentado pela Defensoria Pública da União (DPU) e afirmou que o ato impugnado contraria o princípio da legalidade previsto na Constituição Federal, uma vez a legislação estabelece que a proposição de data comemorativa deve estar prevista em lei.

Militar nomeado por Bolsonaro para o cargo de número 2 do MEC

O presidente Jair Bolsonaro nomeou um militar para número 2 do Ministério da Educação (MEC). O cargo de secretário executivo estava vago desde o dia 13. Quem vai assumir agora é o tenente brigadeiro Ricardo Machado Vieira, que foi da Secretaria de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa e chefe do Estado-Maior da Aeronáutica.

Por 'reserva', corte maior no Orçamento

Em tempos de contigenciamento do Orçamento, o governo decidiu fazer um aperto maior do que havia anunciado nas despesas não obrigatórias, que incluem custeio e investimento. O objetivo é conseguir deixar um valor de reserva, caso algum órgão precise de mais recursos.

Taxa de desemprego sobe para 12,4% e desalento bate recorde

A taxa de desemprego no trimestre que terminou em fevereiro foi de 12,4%, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população desocupada chega hoje a 13,098 milhões.

Brexit rejeitado pela 3ª vez; ruptura traumática em 12 de abril se torna provável

Os deputados britânicos rejeitaram pela terceira vez o acordo sobre o Brexit negociado pela primeira-ministra Theresa May, lançando o país em uma incerteza maior, agravando a crise política e ampliando o risco de um Brexit sem acordo no dia 12 de abril.

Lucro da gigante das armas Taurus em 2018 e expecativa otimista

Uma das maiores fabricantes de armas leves do mundo, com mais de 2 mil vendas por dia no ano passado, a empresa brasileira Taurus está comemorando a divulgação de resultados que apontam um aumento no lucro bruto da operação, que chegou a R$ 307 milhões, o triplo do obtido em 2017. Isso se deve mais à reorganização da linha de produção e à renegociação da dívida, cujo valor bruto é de R$ 908 milhões, do que à perspectiva de crescimento do mercado interno com a facilitação de acesso a armas já em andamento no governo do presidente Jair Bolsonaro. 

Morte da influente cineasta francesa Agnès Varda, aos 90 anos

A influente diretora francesa Agnès Varda morreu aos 90 anos, em Paris. Associada ao movimento da Nouvelle Vague, a cineasta morreu por conta de um câncer de mama. Em 1975, Agnès fez um documentário curto, Réponses des Femmes - Notre Corps, Notre Sex, e nele há uma entrevistada que diz que a sociedade não permite que as mulheres envelheçam. A própria Varda dizia que há uma expectativa por mulheres lindas, loiras, magras. Algumas são, a maioria, não. 

Paulo Gustavo sobre ser gay: ‘Tenho uma mãe que me aceita, mas não é realidade de muita gente’

A afinidade entre Paulo Gustavo e a mãe, Déa Lúcia, fez com que o ator se inspirasse para diversos papéis. A relação entre eles foi homenageada durante o programa Mais Você, da TV Globo. Ana Maria Braga convidou o ator e a mãe para tomarem o tradicional café da manhã e contarem um pouco mais sobre a vida deles. Paulo Gustavo disse que aproveitou o sucesso que estava fazendo com crianças, adolescentes, jovens e idosos para anunciar que é gay.

Nicolas Cage pede anulação do casamento com Erika Koike cinco dias depois

Nicolas Cage está prestes a protagonizar um dos casamentos mais rápidos da história de vida dele. De acordo com informações do site TMZ, o ator teria pedido a anulação da união com Erika Koike, oficializada no sábado, 23. 

Newsletter

Para ficar bem informado, assine as newsletters do Estado e receba os destaques do noticiário por e-mail.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.