Jédson Alves/EFE
Jédson Alves/EFE

Notícias do dia: mais de 2 mil mortos no Brasil, quarentena em SP e acordo para reduzir salário

Disputa entre Maia e Bolsonaro, recorde de mortes nos EUA, colapso da saúde no Amazonas, novos números de Wuhan, contaminação de marinheiros franceses, isolamento na Grécia e a fortuna de Jeff Bezos também foram assuntos desta sexta-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2020 | 19h53

O Brasil ultrapassou a marca de 2 mil mortos pelo coronavírus. Em São Paulo, o governador João Doria decidiu ampliar a quarentena. O Amazonas começa a sofrer as consequências do colapso do sistema de saúde. O STF validou o acordo para reduzir salários. E os Estados Unidos registraram novo recorde de mortes causadas pela covid-19

Leia também sobre a disputa entre Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro, a revisão das mortes em Wuhan, a contaminação de mil marinheiros em porta-aviões francês, o isolamento bem-sucedido na Grécia e a fortuna do homem mais rico do mundo.  

Veja abaixo a lista das principais notícias do 'Estadão' nesta sexta-feira, 17 de abril de 2020:

1. Brasil supera a marca dos 2 mil mortos pelo coronavírus, com 217 novos óbitos em 24 horas

Em novo recorde, o Brasil registrou 217 mortes decorrentes do novo coronavírus nas últimas 24 horas. Com isso, o número de óbitos por covid-19 passou para 2.141 nesta sexta-feira, 17, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, através de informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde. A taxa de letalidade está em 6,4%. 

Leia também:  Covid-19 supera em dois meses número de mortes por H1N1 em 2009 no Brasil

2. João Doria amplia quarentena até 10 de maio no Estado de São Paulo

O governo de São Paulo prorrogou a quarentena no Estado para retardar a propagação do novo coronavírus, que venceria no próximo dia 22, quarta-feira. Agora, a medida vale até o dia 10 de maio. A quarentena está em vigor no Estado desde o dia 24 de março e já havia sido ampliada uma vez. O decreto prevê o fechamento do comércio e serviços não essenciais, o que inclui bares, restaurantes e cafés, que só podem funcionar com serviços de delivery. Já os serviços considerados essenciais, como farmácias e supermercados, podem abrir as portas. 

Leia também: Prefeitura de São Paulo estuda internação de pessoas com sintomas leves de covid-19

3. STF valida acordo para reduzir salário na crise sem aval de sindicato

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu assegurar a validade dos acordos individuais entre empregadores e trabalhadores para reduzir jornada e salário ou suspender contratos durante a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus no País. A medida permite redução de jornada em 25%, 50% ou 70%, com um corte proporcional no salário, por até três meses. Também é possível suspender o contrato por até dois meses. Em todos os casos, o governo pagará uma parte do seguro-desemprego a que o trabalhador teria direito.

Leia também: Entenda as regras do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda

4. Em colapso, Amazonas usará contêineres frigoríficos para mortos do coronavírus

Sem leitos de UTI, respiradores e recursos humanos, o Governo do Amazonas está equipando as unidades hospitalares do Estado, lotadas com pacientes infectados pelo novo coronavírus, com contêineres frigoríficos para acondicionamento de corpos das vítimas da doença e do colapso do sistema de saúde.

5. Após Bolsonaro criticar Maia, Senado retira da pauta MP Verde Amarelo

Em resposta ao presidente Jair Bolsonaro, o Senado decidiu não votar nesta sexta-feira, 17, a medida provisória do contrato Verde Amarelo, que reduz impostos às empresas na contratação de jovens de 18 a 29 anos e pessoas acima de 55 anos. O texto perderá a validade se não for aprovado pelos senadores até segunda-feira, 20. As bancadas ainda vão discutir se a medida será votada, mas a tendência é a MP caducar.

6. EUA registram quase 4,5 mil mortes por coronavírus em 24 horas

Os Estados Unidos registraram, nas últimas 24 horas, o recorde de 4.491 mortes pelo novo coronavírus, segundo a contagem em tempo real da Universidade Johns Hopkins. De acordo com a instituição, o país ultrapassou a marca de 33 mil vítimas da covid-19.

Leia também: Mais de mil marinheiros do porta-aviões Charles de Gaulle são contaminados por coronavírus

7. Wuhan revisa números e aumenta em 50% mortes por covid-19 na cidade

China, alvo de suspeitas e críticas por sua gestão da pandemia de covid-19, revisou os números e anunciou nesta sexta-feira 1.290 mortes adicionais na cidade de Wuhan, marco zero do novo coronavírus.

8. Mais de mil marinheiros do porta-aviões Charles de Gaulle são contaminados por coronavírus

Um total de 1.081 marinheiros do porta-aviões francês Charles de Gaulle testou positivo para a covid-19, informou nesta sexta-feira, 17, o Ministério da Defesa da França. A tripulação é formada por 2.300 pessoas. 

9. Com isolamento, Grécia vira exemplo de contenção do vírus na Europa

Com a proibição de aglomerações de massa e quarentena há quatro semanas para impedir a propagação do novo coronavírus, a Grécia tem conseguido controlar a pandemia e é vista como exemplo na Europa - assim como a Alemanha. O país registra, até o momento, 2.207 casos confirmados e 105 mortes. A rápida resposta e o respeito da população às medidas explicam os resultados.

10. Jeff Bezos fica US$ 24 bilhões mais rico durante a pandemia

A pessoa mais rica do mundo está ficando mais rico, mesmo em uma pandemia. Com os consumidores presos em casa, eles confiam na Amazon.com Inc. de Jeff Bezos mais do que nunca. As ações do varejista subiram 5,3%, elevando o patrimônio líquido do fundador para US$ 138,5 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.