REUTERS/Ricardo Moraes
REUTERS/Ricardo Moraes

Notícias do dia: seguro-desemprego, mortes por coronavírus no Brasil e fechamento de fronteiras

Crise diplomática, 18º infectado da comitiva de Bolsonaro, fechamento de shoppings e fábricas, disputa entre Donald Trump e Boris Johnson e a Itália com mais mortos do que a China também foram assuntos nesta quinta-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 19h38

O número de casos de coronavírus no Brasil aumentou para 621 e 7 mortes são confirmadas no País. Diante do avanço da doença, o governo decidiu fechar as fronteiras e pagar parte do seguro-desemprego a trabalhadores que tiverem salário reduzido. O Itamaraty anunciou o retorno de 139 brasileiros isolados em cruzeiro no Caribe. E a produção de veículos pode ser paralisada por causa do agravamento da crise. 

Leia também sobre o fechamento de shoppings, o 18º infectado da comitiva do presidente Jair Bolsonaro, a crise diplomática criada por Eduardo Bolsonaro, a disputa entre Donald Trump e Boris Johnson por um remédio e a Itália que superou a China em número de mortos. 

Veja abaixo a lista das principais notícias do 'Estadão' nesta quinta-feira, 19 de março de 2020:

1. Rio de Janeiro confirma segunda morte por coronavírus; total no País chega a 7

O governo do Rio confirmou a segunda morte pelo novo coronavírus no Estado. Trata-se de um idoso de 69 anos que morava em Niterói, na região metropolitana. Além de idoso, ele era diabético e hipertenso, características que o colocavam no grupo de risco da covid-19. A Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo confirmou a quinta morte pela doença no Estado. Com isso, já são sete vítimas fatais da covid-19 no País.

Leia também: Operadora de saúde já tem cinco mortes pelo coronavírus em São Paulo

2. Governo vai pagar parcela do seguro-desemprego a trabalhadores com salário reduzido

O Ministério da Economia  anunciou que vai pagar uma parcela do seguro-desemprego a trabalhadores que tiverem o salário e a jornada reduzidos pelos empregadores como medida de enfrentamento aos impactos econômicos do novo coronavírus. O chamado “programa antidesemprego” deve atingir 11 milhões de pessoas, vai custar R$ 10 bilhões e será bancado com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). 

Leia também: Governo pode dar até 1,5 ano para compensar horas não trabalhadas por isolamento do coronavírus

3. Brasil fecha fronteiras terrestres para conter o avanço do novo coronavírus

O governo brasileiro acaba de determinar o fechamento das fronteiras terrestres com Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa; Guiana, Paraguai, Peru e Suriname. Segundo o Ministério da Justiça, o fechamento vale para fronteiras físicas, terrestres, e não atinge quem viaja de outros países de avião. O governo vai editar uma portaria específica em relação às fronteiras terrestres com o Uruguai, que ficaram de fora, por ora, das restrições anunciadas.

4. Itamaraty anuncia retorno de 139 brasileiros isolados em cruzeiro no Caribe

O Itamaraty informou que obteve, junto às autoridades da Ilha de Guadalupe - um departamento francês no Caribe - a autorização para desembarque de 139 turistas brasileiros que estavam a bordo do navio de cruzeiro Costa Favolosa. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, todos os brasileiros puderam desembarcar e retornaram ao Brasil em avião fretado pela empresa Costa Cruzeiros, operadora da viagem. 

5. Todas as 65 fábricas de veículos no País podem suspender a produção

Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) informou que todas as empresas do setor se preparam para paralisar atividades ao longo das próximas semanas "em função do agravamento da crise gerada pelo coronavírus".

6. Com shoppings fechados, lojistas veem colapso do varejo e pedem perdão de aluguel

A determinação de fechamento de shopping centers em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, e o funcionamento em horário reduzido nas demais cidades, como forma de conter a propagação do coronavírus pelo País, agravou a tensão entre os lojistas e as donas dos empreendimentos.

O presidente da Agência Brasileira de Promoção à Exportação (Apex), Almirante Sérgio Segovia, teve teste positivo para o novo coronavírus. Segovia é o 18º integrante da comitiva que viajou com o presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos a contrair o vírus – os ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, também tiveram resultado positivo.

8. Substituto de Alcolumbre, Anastasia pede desculpas à China em nome do Senado

Em nome do Senado, o vice-presidente da Casa, Antonio Anastasia (PSD-MG), encaminhou uma carta ao embaixador da China no Brasil pedindo desculpas após declarações do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Na quarta-feira, 18, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez o mesmo gesto.

Leia também: 'Jamais ofendi o povo chinês. Não desejamos problemas com a China', diz Eduardo

9. Trump e Boris Johnson 'disputam' anúncio de remédio para a covid-19

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, entraram em uma disputa para tentar anunciar primeiro um remédio para combater o coronavírus. A pandemia já contaminou mais de 207 mil pessoas e deixou 8 mil mortos em 166 países. 

10. Itália supera a China em número de mortos por coronavírus

A Defesa Civil da Itália anunciou que o número de mortos em decorrência do novo coronavírus subiu para 3.405, o que coloca o país à frente da China na quantidade de vítimas, que contabiliza 3.245. O início do surto de covid-19 no país europeu foi noticiado em 21 de fevereiro e nas últimas 24 horas foram registrados 427 óbitos. Ao mesmo tempo, a cidade de Wuhan, onde a pandemia teve início, não registrou casos adicionais.

Leia também: Dirigentes esportivos da Itália fazem apelo ao COI para mudar data da Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.