Nova carta sobre Plano Diretor acirra briga entre vereadores

A briga política entre vereadores do PT foi acirrada nesta quinta-feira com a divulgação de uma nova carta referente ao Plano Diretor. Dessa vez, os aliados mais fiéis da prefeita Marta Suplicy (PT) na Câmara contra-atacaram a carta supra-partidária que pede à prefeita que vete as emendas que tratam de zoneamento.Na carta, o líder do PT na Câmara, vereador João Antonio, afirma que todas as emendas sobre o Plano Diretor foram debatidas na bancada antes da votação. O petista também afirma que, no momento da votação, todas as emendas foram apresentadas pelo relator do projeto, vereador Nabil Bonduki (PT). "A bancada do PT concluiu que elas (as emendas) em nada alterariam a essência do Plano Diretor, uma grande conquista para a cidade de São Paulo."Em entrevista à imprensa, Antonio criticou os petistas que assinaram a carta que será enviada à prefeita. Para eles, trata-se de uma "questão política" dos vereadores que, segundo ele, pretendem apenas "questionar o governo da Marta." Além disso, de acordo com Antonio, não faz sentido os vereadores reclamarem de emendas quase uma semana após a parovação do projeto. Antonio também criticou o presidente da Câmara, José Eduardo Cardozo (PT), que assinou o documento. "É uma situação mais grave, pois ele é uma peça chave do governo", disse. No total, 27 vereadores assinaram a carta. Além do PT, assinaram integrantes do PSDB, PPB, PSD, PSB, PC do B e Prona. Apenas na bancada petista, foram sete vereadores: José Eduardo Cardozo, Carlos Neder, Lucila Pizani, Flávia Pereira, Vicente Cândido, Beto Custódio e Carlos Giannazi (suspenso do partido). O vereador Carlos Apolinário (PGT) enviou uma carta separada, no mesmo teor, para a prefeita Marta Suplicy. O vereador Roberto Tripoli (PSDB), prometeu também enviar uma carta amanhã. Tripoli votou pela abstenção na aprovação do Plano Diretor, na semana passada.ReaçãoA reação foi imediata. "Os vereadores que assinaram a carta fizeram isso em caráter pessoal desejando o sucesso do governo, utilizando métodos que não são considerados inaceitáveis", disse Carlos Neder (PT). "Não é por ser presidente da Casa que tenho de agir em desacordo com a minha consciência", afirmou Cardozo. A carta foi enviada no final da tarde para o Palácio das Indústrias.Bonduki reafirmou que as emendas sobre zoneamento foram apresentadas em um pacote apresentado pelo ex-líder do governo, José Mentor (PT), na noite da aprovação. Segundo ele, Mentor afirmou que as emendas eram necessárias para aprovação do projeto.O Plano Diretor também provocou um "racha" no PSDB. O motivo é a suspeita de que um dos vereadores tucanos tenha sido o autor de uma das emendas que alterou o zoneamento em regiões estritamente residenciais. "Renuncio ao meu mandato se alguém provar que eu apresentei uma dessas emendas", disse o líder do PSDB, Ricardo Montoro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.