Nova faixa de pedestres da Paulista estréia em meio a elogios e desrespeito

Os pedestres aprovaram as novas faixas da Avenida Paulista, mas ainda desrespeitam os semáforos. Ontem, no primeiro dia de funcionamento do sistema, muitos ignoraram o sinal vermelho e se arriscaram entre carros e motocicletas que passavam entre a Praça Oswaldo Cruz e a Avenida Brigadeiro Luís Antônio. Nesse trecho, quatro faixas de pedestres foram afastadas dos cruzamentos para dar mais segurança e permitir a travessia de uma só vez. A mudança faz parte do projeto de revitalização da Paulista, que inclui a reforma das calçadas, das rampas e dos canteiros centrais."Já estou acostumado a correr para atravessar as duas pistas. Se for esperar o sinal, não dá tempo, tem de parar no canteiro", explicou o office-boy Isael Martim Souza, de 33 anos, após cruzar com o sinal vermelho. Ele não sabia que o tempo do semáforo aumentou, sendo possível cruzar de uma vez só.Um dos principais objetivos da medida é reduzir o tempo de espera do pedestre. Nos sinais comuns da avenida, ele espera em média 90 segundos e tem só 15 segundos para atravessar. Com o recuo das faixas, o sinal fica aberto em média 40 segundos para os pedestres e 120 segundos para os carros. As mudanças não atrapalharam o trânsito ontem, dia em que o fluxo de carros foi menor, por causa da Quarta-Feira de Cinzas. A faixa agradou à "office-girl" Angelina de Oliveira, de 67 anos. "É muito melhor, não tenho que correr", afirmou. "Foi bom porque não preciso mais parar no meio. Além de chato, é perigoso", disse a pedagoga Luísa Bernardes, de 34 anos, moradora da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.