Nova fase da Operação Asfixia terá ações mais pontuais

O Morro da Providência viveu mais um dia de confronto entre traficantes e soldados do Exército. A troca de tiros começou às 11h30 e durou 40 minutos. Seis caminhões, com 200 militares, e um helicóptero foram enviados à favela. Não há informações sobre feridos. O porta-voz do Comando Militar do Leste, tenente-coronel Munir el Mohi, informou que começou uma nova fase da Operação Asfixia, na qual haverá ações mais pontuais.O porta-voz disse que a mudança na Operação Asfixia não se aplica à Providência, onde o Exército tem enfrentado forte resistência armada. As ações "maciças" no morro continuarão. "O Estado tem de responder à altura e impor a lei e a ordem, à força."Durante o tiroteio deste sábado, soldados postados na Ladeira do Barroso impediram a população de ir para casa. Os moradores hostilizaram e vaiaram militares. Após uma hora de espera, eles foram liberados para subir o morro.Na noite de sexta-feira, um garoto de 12 anos, Genilson dos Santos Batista, foi baleado no braço no morro e teve fratura exposta. Operado no Hospital Souza Aguiar, ele passava bem pela manhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.