Nova fuga da Custódia Muniz Sodré, em Bangu

Um agente penitenciário pode ter facilitado a fuga de quatro presos da Casa de Custódia Muniz Sodré, em Bangu, na zona oeste do Rio, nesta madrugada. Outros dois agentes foram apontados como cúmplices de uma outra fuga, ocorrida no mesmo local na segunda-feira passada. "Vamos rever a situação funcional dessa unidade", informou o diretor do Departamento de Sistema Penitenciário (Desipe), Manuel Pedro da Silva. "Provavelmente, faremos um remanejamento de servidores". A Casa de Custódia Muniz Sodré abriga 1.488 presos ainda não condenados.A nova fuga ocorreu no Pavilhão B onde estavam Adeir de Souza Junior e Luiz Fernando da Silva, acusados de assalto à mão armada, Aurélio Agrelli, acusado por tráfico de drogas, e Artur Marques Quintanilha, acusado por homicídio.Manuel Silva contou que os quatro presos serraram a grade do pavilhão, pularam a janela e caíram no pátio externo perto da guarita, de onde conseguiram escapar pulando o muro de sete metros com a ajuda de uma corda feita com lençóis. "Pela localização da guarita, era impossível o agente não vê-los", afirmou o diretor do Desipe. "Se não houve conivência, houve negligência".Segundo Silva, a conivência de funcionários pode ter permitido o acesso do instrumento no interior do presídio. "Isso é coisa de visita ou de funcionário", afirmou o diretor. "Mesmo em caso de visita, tem que ter ajuda do funcionário para dar certo". O agente colocado sob suspeita foi levado para a 34ª Delegacia de Polícia, de Bangu. Segundo Silva, somente após uma perícia no local será possível tirar conclusões sobre a participação do funcionário na fuga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.