Nova lista do CNJ aponta 134 juízes ameaçados no Brasil

No início de agosto, balanço mostrava 100 magistrados em situação de risco

Solange Spigliatti, estadão.com.br

29 de agosto de 2011 | 10h16

SÃO PAULO - Aumentou o número de juízes ameaçados no País, de acordo com lista divulgada pela Corregedoria Nacional de Justiça na última quinta-feira. No início de agosto, a lista apontava que 100 magistrados têm a vida em risco. Na última lista, foram notificados 134 juízes nesta situação, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 

Em junho, a ministra Eliana Calmon, corregedora nacional de justiça, pediu aos tribunais estaduais (TJs) e aos tribunais regionais federais (TRFs) que encaminhasse um balanço atualizado sobre seus magistrados, indicando os que sofrem algum tipo de ameaça. Até a divulgação da lista anterior, nem todos os tribunais haviam respondido. Os primeiros tribunais a informarem quantos juízes estão em situação de risco foram os de Alagoas, Minas Gerais, Mato Grosso e Rondônia. Os 34 nomes de magistrados acrescentados ao balanço do CNJ são de Alagoas, Amazonas, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso e Rondônia.

 

Segundo o CNJ, apesar de a Corregedoria Nacional de Justiça já estar trabalhando em um plano de segurança para os magistrados desde junho, com o levantamento dos que se encontram ameaçados e em situação de risco, o assassinato da juíza Patrícia Acioli no início do mês, no Rio de Janeiro, foi um grande impulso nesse trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.