Nova onda de violência deixa Jundiaí em estado de alerta

Apesar do forte esquema de segurança montado neste final de semana pela polícia rodoviária nas estradas que cortam Jundiaí, interior do Estado, devido a liberação de presos para a comemoração do Dia dos Pais, a cidade registrou na madrugada desta segunda-feira, 7, uma série de ataques atribuídos à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).Os ataques começaram por volta das 3h30 desta madrugada e atingiram vários alvos públicos, entre eles, dois postos de gasolina. Além dos postos, a facção atacou um caixa eletrônico no bairro Agapeama e um ônibus da Viação Jundiaiense que fazia a linha Jardim São Camilo. As ações aconteceram simultaneamente.Os alvosDois postos de gasolina, localizados no bairro da Colônia e na Rodovia dos Bandeirantes, foram atacados com coquetéis molotov. Os explosivos atingiram bombas de combustível causando início de incêndio. As chamas foram controladas pelos funcionários, evitando uma tragédia ainda maior.Um caixa eletrônico, localizado no bairro Agapeama, ficou completamente destruído após o incêndio provocado pelos bandidos. Já a Viação Jundiaiense teve mais um veículo destruído, o sexto desde o inicio dos ataques em maio. O ônibus que fazia a linha Jardim São Camilo, foi atacado por cinco homens armados que renderam o motorista e atearam fogo ao veículo. A empresa retirou seus carros de circulação pela manhã prometendo retomar as atividades às 13 horas, com escolta policial.As ações criminosas do PCC chegaram a Campo Limpo Paulista, também no interior, onde foi encontrado um embrulho, levantando a suspeita de bomba, próximo a delegacia local. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado para analisar o artefato.A polícia contra atacaNa tarde de domingo, 6, Rodrigo de Brito Ubaldo, mais conhecido como "Dacova", foi preso na Praia Grande, litoral paulista, por policiais da Delegacia de Investigadores Gerais de Jundiaí. Rodrigo foi indiciado por homicídio, atentado a ônibus e a prédios públicos e envolvimento nos crimes realizados pelo Primeiro Comando da Capital na véspera do Dia das Mães, em maio.Segundo o delegado seccional de Jundiaí, Joaquim Dias Alves, Dacova era um dos matadores do grupo. Alves disse ainda que Ubaldo participou da morte do policial do 11º Batalhão da Polícia Militar do Interior, Nelson Pinto, assassinado em Jundiaí. Durante a noite, mais oito integrantes da facção foram presos na região.De acordo com informações da Seccional de Jundiaí, o patrulhamento às ruas serão mantidos normalmente, sem nenhuma ação especial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.