Nova ressaca deve atingir praias cariocas

Com o fim da ressaca, que teve ondas de até 2,5 metros, na manhã desta terça-feira, 25, o mar se tornou ainda mais perigoso para os banhistas. Na segunda-feira, 24, um homem de aproximadamente 40 anos morreu afogado depois de mergulhar da Pedra do Leme. Ele foi resgatado por bombeiros, mas não resistiu. "Agora que o mar fica perigoso, porque a ressaca escavou muito a areia e abriu valas. Está cheio de correntes", explicou o subcomandante do Corpo de Bombeiros, coronel Marcos Silva. Diariamente, 400 salva-vidas monitoram a orla do Rio, informou o coronel. Nas missões de resgate, eles podem contar com o apoio de lanchas e de helicópteros. Entre segunda-feira e hoje, do início ao fim da ressaca, os bombeiros registraram 15 salvamentos no mar. Há previsões de que uma nova ressaca atinja as praias cariocas na semana que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.