Novas imagens mostram terceiro ladrão em ação

Assaltantes estiveram no local 48 horas antes do roubo; segundo a polícia, novo retrato falado sai hoje

Eduardo Reina, O Estadao de S.Paulo

16 de junho de 2008 | 00h00

Novas imagens do roubo de quadros na Estação Pinacoteca de São Paulo, no dia 12, mostram que pelo menos três pessoas participaram da ação. Duas delas já tiveram seus retratos falados divulgados pela Polícia Civil. Os investigadores esperam poder mostrar hoje a foto ampliada de um terceiro homem, de camisa branca, que ajudou a retirar um dos quadros da parede. O roubo, segundo o delegado assistente da 3ª Delegacia do Patrimônio, Adilson Marcondes, teria sido encomendado. Os ladrões estiveram no local 48 horas antes do roubo. "As imagens mostram que os ladrões estiveram estudando o local dois dias antes do crime. Fizeram um estudo prévio para facilitar o roubo. Não acredito que essas pessoas tenham levado os quadros para ficar de posse deles. Acreditamos que esse seja um crime encomendado", disse Marcondes.A ação dos bandidos foi destemida. Estava tudo planejado e o trabalho de retirada dos quadros foi sincronizada com a ação de um dos integrantes do grupo, que distraia monitores e seguranças com pedidos de informação. Os homens agiram sem que a segurança da Pinacoteca ou o centro de monitoramento percebessem o que acontecia. Desceram do segundo andar pelas escadas e fugiram.Durante cerca de 3 minutos que eles levaram para retirar os quadros da parede, colocar nas sacolas e fugir, nenhum segurança percebeu o que estava ocorrendo. Antes disso, ficaram por 20 minutos perambulando pelos salões da Pinacoteca como visitantes. Uma monitora flagrou o início da ação, às 12h28, mas foi dominada. Ele teria dito "perdeu, perdeu. Vem para cá, não olha nada, olha para a parede", contou um dos policiais ao reproduzir o que a testemunha relatou. "Não quero fazer comentários sobre a segurança da Estação Pinacoteca", disse ontem o delegado. Trabalham no local seis seguranças e 25 monitores que prestam atendimento ao visitante.Os ladrões começaram a desparafusar o primeiro quadro às 12h27. Quase 3 minutos depois, os quatro quadros já estão dentro de duas sacolas. Eles evitam o elevador e descem pelas escadas. Para sair do prédio, um dos comparsas, de boné e óculos, chama um segurança na portaria dos fundos. Nesse momento, os dois passam rapidamente com as sacolas e fogem.A polícia desconhece como os ladrões conseguiram fugir da Pinacoteca. De acordo com o delegado Marcondes, as câmeras da Prefeitura que ficam na área "estavam inoperantes". Não há confirmação pela polícia de que os assaltantes estivessem armados. Relato da monitora que presenciou o roubo é de que um dos homens estava com uma arma de fogo sob a camisa. "Mas não sacaram para ninguém", disse Marcondes.As obras roubadas são avaliadas em R$ 1 milhão: O Pintor e seu Modelo, de 1963, e Minotauro, Bebedouro e Mulheres, de 1933, de Pablo Picasso; Mulheres na Janela, de 1926, de Di Cavalcanti; e Casal, de 1919, de Lasar Segall.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.