Novas restrições não barram a entrada de espanhóis no Brasil

Itamaraty acusa Madri de adotar práticas mais rígidas no ingresso de brasileiros em seu território

Camila Brunelli, O Estado de S. Paulo

03 Abril 2012 | 21h36

SÃO PAULO - Em vigor desde segunda-feira, 2, as novas restrições a entrada de espanhóis no Brasil ainda não foram empecilho suficiente para barrar passageiros no setor de imigração do Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo. A Embaixada da Espanha no Brasil também não teve notícia de nenhum caso e a Polícia Federal em Brasília informou que não vai se manifestar sobre o assunto.

A medida é chamada de princípio diplomático da reciprocidade. O Itamaraty acusa Madri de adotar práticas mais rígidas com relação a entrada de brasileiros em seu território do que com cidadãos de outros países. Agora, para entrar no Brasil, o espanhol tem de mostrar, além do visto de entrada (temporário, permanente ou de turista), a apresentação do bilhete aéreo de volta, com data de retorno marcada, comprovação de meios econômicos suficientes para se manter no Brasil durante o período de permanência e documento comprovando o endereço de estadia ou carta-convite de residente no Brasil.

O consultor Julio Henchi, de 52 anos é espanhol e vem pela primeira vez ao Brasil com a esposa e a filha. Ele contou que não teve nenhum problema para entrar no País e que, inclusive, foi muito bem tratado. "Para mim não mudou nada, toda vez que eu viajo eu levo o comprovante da reserva do hotel onde vou me hospedar." Henchi disse também que foi orientado pela companhia aérea com a qual comprou sua passagem.

"Tem de ter restrição, mesmo, senão entra quem quiser. Lá fora eles já acham que o Brasil é terra de ninguém", disse a dona de casa Vanda Amaro Medina Alvarez, de 63 anos, que acabava de voltar da Espanha com o marido, o espanhol naturalizado brasileiro Antonio Medina Alvarez, de 66 anos. Eles tinham ido visitar a filha que é brasileira e mora em Madri.

Eles contaram que o jornal El Pais divulgou a documentação necessária para entrar no Brasil."Ta tudo mundo esperto, já." Sobre as restrições, a opinião dos familiares espanhóis de Alvarez é que a reciprocidade é justa. "Eles estão preocupados, inclusive, com o prejuízo que as restrições a brasileiros pode trazer ao turismo espanhol."

A brasileira Astres Pereira, de 48 anos mora há seis na Espanha. Ela também concorda que o governo brasileiro está certo em restringir a entrada de espanhóis, como a polícia espanhola faz com os brasileiros no exterior.

Mais conteúdo sobre:
aeroporto espanhóis restrição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.