Nove acusados de tráfico e ligação com o PCC são presos

A polícia prendeu ontem nove acusados de pertencer a uma quadrilha de traficantes de drogas ligada ao Primeiro Comando da Capital (PCC). Os acusados haviam sido denunciados pelos promotores do Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) de Santos. O bando seria liderado por Fernando da Silva Tobias, o Amendoim, que também é acusado de lavar o dinheiro obtido com a venda de maconha, crack e cocaína.Os acusados foram presos depois que a 4ª Vara Criminal de Santos decretou a prisão do grupo. Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos estavam investigando as atividades da quadrilha há um ano. Amendoim, segundo a denúncia do Gaeco, é ''pessoa ligada ao PCC e estaria patrocinando o tráfico de drogas na região do Estuário e Macuco, em Santos''. Sua função na facção seria o de ''sintonia''.Escutas telefônicas realizadas entre agosto e outubro mostraram, segundo o Gaeco, Amendoim dando ordens para João Henrique Neri de Moura, o Baianinho, para batizar a cocaína vendida, a fim de aumentar o volume e o lucro. Baianinho teria sido autor de uma tentativa de homicídio contra Ronaldo Duarte Barsotti de Freitas, o Naldinho, antigo chefão do tráfico na Baixada Santista.Naldinho era ligado ao Comando Vermelho e ao PCC, mas passou a ser inimigo da facção - depois de uma briga pelo poder na quadrilha que levou à morte, em 2005, seu principal aliado, Sandro Henrique da Silva Santos, o Gulu. O crime ocorreu, segundo as investigações, em setembro. De acordo com o Gaeco, Baianinho teria disparado contra Naldinho, que escapou do atentado. Entre os acusados de revender a droga para Amendoim estariam Julio Matos Pereira, o Júlio Sem-Cérebro, Paulo Henrique dos Santos, o Paulinho Paiacan, e Jonathan Rodrigues de Souza, o Pequeno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.