Nove governadores são reeleitos em 1º turno; cinco continuam na disputa

Nove governadores são reeleitos em 1º turno; cinco continuam na disputa

Até agora, apenas Yeda (RS), Gaguim (TO), Iberê (RN) e Pedro Paulo (AP) fracassaram ao tentarem a reeleição em 2010

Wilson Tosta, O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2010 | 00h00

DISPUTA REGIONAL

Metade dos 18 Estados que decidiram ontem em primeiro turno as sua eleições reelegeram seus governadores, e outros quatro vão decidir, em segunda votação se os reconduzem ou substituem. Somente em cinco Estados os eleitores rejeitaram a reeleição. Ao todo, as unidades da Federação nas quais os atuais governadores tentaram permanecer no cargo por mais quatro anos chegaram a 18

Na lista de reeleições, destaca-se Minas Gerais, onde Antônio Anastasia (PSDB) protagonizou a maior virada da campanha de 2010. Originalmente um vice discreto, que assumiu o posto após a renúncia de Aécio Neves (PSDB) para disputar o Senado, Anastasia começou a disputa muito atrás do então líder, o ex-ministro das Comunicações Hélio Costa, mas com o apoio de Aécio assumiu a liderança e venceu com mais de 60% dos votos, no Estado que tem o segundo maior colégio eleitoral do País.

Outro Estado considerado grande, o Rio de Janeiro, em terceiro lugar no número de eleitores do País, reelegeu com facilidade Sérgio Cabral Filho (PMDB), com dois terços dos votos válidos. Diferentemente de Anastasia. Cabral liderou durante toda a campanha, beneficiado por uma coligação de 16 partidos, pelo apoio de quase todos os 92 prefeitos e pela ajuda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Seu adversário, Fernando Gabeira, do PV, obteve somente 20,68% da votação.

Na Bahia, o governador Jaques Wagner (PT) também teve uma reeleição tranquila, com mais de 60% da votação, assim como Eduardo Campos (PSB) em Pernambuco, com a maior votação, em termos proporcionais, das eleições para governador de 2010: 82,83%. Também foram fáceis a reeleições de Cid Gomes (PSB), no Ceará, Marcelo Déda (PT) em Sergipe, e André Puccinelli (PMDB), em Mato Grosso do Sul. No vizinho Mato Grosso, Silval Barbosa também foi reeleito, mas com apenas 1,17 ponto além da metade dos votos. A reeleição mais dramática, contudo, ocorreu no Maranhão, onde a governadora Roseana Sarney (PMDB) só conseguiu a confirmação da sua vitória no fim da apuração - teve apenas 0,8% de votos a mais do que a soma dos votos obtidos pelos adversários.

Os cinco governadores que disputarão o segundo turno são José Maranhão (PMDB-PB); Anchieta Júnior (PSDB-RR); Wilson Martins (PSB-PI); Teo Vilela (PSDB-AL); e Ana Júlia (PT-PA).

Fracassos. O maior Estado onde fracassou a tentativa de reeleição foi o Rio Grande do Sul, onde Yeda Crusius, após um governo tumultuado por escândalos e uma dura oposição do PT, terminou a corrida em terceiro lugar. No Rio Grande do Norte, Iberê Ferreira (PSB) perdeu a disputa para Rosalba Ciarlini, do DEM. No Amapá, Pedro Paulo Dias não conseguiu chegar ao segundo turno, que será disputado entre Lucas Barreto (PTB) e Camilo Capiberibe (PSB). Pedro Paulo foi preso em setembro pela Polícia Federal, em operação de combate a um esquema de fraude em licitações e corrupção. Outro governador acusado de envolvimento de corrupção foi o governador de Tocantins, Carlos Gaguim (PMDB). Ele foi derrotado por Siqueira Campos (PSDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.