Nove pessoas são presas por pedofilia na Bahia

Nove pessoas foram presas nesta terça-feira, 7, em Itabuna, no sul da Bahia, acusados de pedofilia, durante uma operação realizada por por policiais da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) e da 6ª Coordenadoria Regional de Polícia Civil. Entre os detidos estão o advogado Alberto Nunes, de 69 anos, e um professor da Universidade Estadual Santa Cruz (Uesc), o peruano Ricardo Martin Zacarias, de 38 anos. Outros dois acusados continuam sendo procurados. Chamada pelos agentes de ´Menina Grapiúna´, a operação foi baseada em uma investigação conjunta do Ministério Público Estadual (MPE) da Bahia e da Deam, que durou mais de um ano e visava ao cumprimento de 11 mandados de prisão preventiva expedidos pelo juiz da 1ª Vara Crime de Itabuna, Luiz Bezerra. Além do advogado e do professor, também foram detidos o comerciante Delcídio Costa Santos, de 62 anos, o cabeleireiro Enildo Andrade de Brito, 44, o mecânico Lailson Oliveira, 52, os funcionários públicos Vanderei Soares da Silva, 39, e Raimundo Régis, 77, além de Domingos Batista de Jesus, 65, e Edvaldo José dos Santos, 72. O nome dos foragidos não foi divulgado. Além das prisões, foram apreendidos dois computadores na casa do professor universitário que serão analisados por peritos.Os mandados foram solicitados pela delegada da Deam, Lisdeile Nobre, há um mês. De acordo com ela, as investigações começaram a partir de denúncias anônimas. Ela ressaltou, porém, que não se trata de uma quadrilha de pedófilos, mas de acusados por crimes isolados. "Não há indícios de ligação entre os detidos", contou."Chegamos a eles por meio dos depoimentos de vítimas - entre elas garotas de programa que tinham alguns dos acusados como clientes". Anda nesta terça, Lisdeile começou a ouvir os acusados. "Conseguimos uma confissão: O professor Zacarias admitiu que fazia programas e fotografava as adolescentes", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.