Nove são baleados no Rio nesta madrugada

Em um dos casos, homem disparou contra viatura da Polícia Militar durante festa de um bloco de carnaval, em São Gonçalo

Vinicius Neder, de O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2013 | 13h23

Rio de Janeiro - Nove pessoas foram baleadas em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, na madrugada de terça, 12, para esta quarta-feira, 13, em dois casos distintos. No mais grave, sete pessoas ficaram feridas após um homem não identificado disparar contra uma viatura da Polícia Militar (PM) que fazia o patrulhamento de um bloco de carnaval.

 

O soldado Felipe Tomé Paes de Lima foi o único policial atingido. Segundo informações da PM, o crime ocorreu às 0h40 e ninguém foi preso. As investigações estão a cargo da 75ª Delegacia de Polícia (DP), em Rio do Ouro.

 

O soldado Paes foi levado inicialmente para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, junto de outras quatro vítimas. Transferido para o Hospital Central da PM nesta quarta-feira, o policial passa bem.

 

As outras seis vítimas - dois homens e quatro mulheres - foram atingidas enquanto se divertiam no bloco, com balas perdidas do ataque contra os PMs. Quatro feridos também foram levados para o Hospital Estadual Alberto Torres, enquanto outros dois foram para um posto de saúde nas proximidades.

 

Em outro caso também em São Gonçalo, o policial civil aposentado Sebastião Rangel de Araújo, de 59 anos, baleou um adolescente de 14 anos, com um tiro na perna esquerda, e um jovem de 21 anos, com um tiro no braço. O crime ocorreu por volta de 22h, na Rua Comandante Ari Parreiras, bairro Paraíso.

 

O policial aposentado foi preso em seguida, autuado por tentativa de homicídio. Segundo a PM, ele fez os disparos a esmo, ao descer de um ônibus. Não foi confirmado se ele estava alcoolizado, mas, segundo os policiais que o prenderam, ele afirmou não se lembrar de nada. O policial aposentado foi transferido para o presídio de segurança máxima de Bangu 2.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.