Nove são presos em SP e MG por fraude na renovação de CNHs

Desde 2008, foram desbloqueados cerca de cinco mil documentos; preço cobrado por unidade pela quadrilha era de aproximadamente R$ 3 mil

Solange Spigliatti, Central de Notícias

03 de maio de 2011 | 11h34

SÃO PAULO - Nove pessoas foram presas em São Paulo e sul de Minas Gerais nesta terça-feira, 3, durante a Operação Cartas Marcadas, acusadas de fraudar renovação de Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs). A quadrilha conseguiu desbloquear, desde 2008, cerca de cinco mil documentos.

 

O desbloqueio era feito na corregedoria do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran), ao preço médio de R$ 3 mil por habilitação. Dependendo da pessoa que fazia o pedido, o preço podia chegar a R$ 12 mil.

 

A operação, desencadeada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em conjunto com o Ministério Público (MP) de São Paulo, cumpriu 24 mandados de prisão e de busca e apreensão no  centro da capital paulista, na Grande São Paulo e sul de Minas Gerais, contra policiais e donos de autoescola. Foram apreendidos computadores, documentos, CNHs falsificadas e duas armas.

 

Segundo a PRF, a Operação Cartas Marcadas é uma continuação da Operação Carta Branca, realizada em 2008, quando foi desmantelada uma quadrilha especializada na fraude em renovação e desbloqueio das CNHs falsificadas.

 

Notícia atualizada às 15h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.