Nove vôos ao Brasil enfrentam problemas no 'caos' da Argentina

Oito decolagens no aeroporto de Buenos Aires pertenciam a Aerolíneas Argentinas, que passa por reestatização

Agência Brasil,

27 de julho de 2008 | 20h42

O Aeroporto de Buenos Aires registrava problemas em nove vôos que deveriam partir neste domingo, 27, para o Brasil, de acordo com a Aeropuertos Argentina 2000, empresa que administra os terminais de lá. Oito dos nove vôos cancelados ou atrasados são da Aerolíneas Argentinas, empresa que está em processo de reestatização.   Veja também: 'Não há solução mágica para crise', diz Aerolíneas Caos aéreo argentino frustra passageiros em aeroporto no Rio Vôos da Aerolíneas continuam com atrasos de mais de uma hora Itamaraty presta atendimento a brasileiros em Buenos Aires Brasileiros reclamam de serviço de companhia aérea argentina Viajar na Argentina transformou-se em Odisséia   Um vôo da Aerolineas previsto para o Rio foi cancelado, um está atrasado desde as 13 horas e para outros três a orientação é de que os passageiros procurem a companhia. Também estão atrasados dois da Aerolineas com destino a São Paulo e um que deveria partir para Porto Alegre. Um vôo fretado que deveria seguir para Campinas (SP) também está com problemas, segundo a Aeropuertos Argentina 2000.   Desde sexta-feira, 26, centenas de brasileiros estão retidos no aeroporto da capital portenha por causa de vôos que sofreram atrasos ou cancelamentos, a maioria da Aerolineas Argentinas.   A orientação do Itamaraty é para que os passageiros procurem auxílio no Consulado do Brasil em Buenos Aires, pelo telefone de plantão: 15-41999668, para ligações feitas da Argentina, e 54-911-41999668, para chamadas a partir do Brasil.   Depois de algumas ligações que caíram na caixa postal, a reportagem da Agência Brasil conseguiu contato, através deste número, com o cônsul-adjunto, Alexandre Silveira. Ele garante que o atendimento é 24 horas, mas faz a ressalva de que nem tudo pode ser resolvido durante a madrugada, nem o consulado ficará aberto neste período.   Silveira conta que esteve no aeroporto e constatou que, apesar da grande quantidade de passageiros prejudicados pelos atrasos e cancelamentos, não se confirmavam alguns relatos mais trágicos, de que havia brasileiros passando fome, por exemplo. Em termos de problemas de saúde, ele soube de duas pessoas que "passaram mal, foram medicadas e ficaram satisfeitas".   O cônsul adjunto, no entanto, diz que a situação dos aeroportos é realmente complicada, não só para brasileiros, como para passageiros de todas as nacionalidades. "É um caos, está um caos mesmo".   De acordo com a agência de notícias Telam, o gerente da companhia aérea, Julio Alak, afirmou que os atrasos foram provocados por overbooking e pela escassez de aviões, já que houve atraso no retorno das aeronaves ao Aeroporto de Buenos Aires e o período coincide com o fim da temporada do recesso de inverno na Argentina.   Em relação aos vôos que partem do Brasil rumo a Buenos Aires, a situação é mais tranqüila. De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), dos cinco vôos que partiriam do Rio para a capital argentina, um foi cancelado e os demais têm decolagem prevista para este domingo. Em São Paulo, um vôo da Aerolineas partiu com atraso de cerca de uma hora, um foi cancelado e outro deve decolar ainda nesta noite.   Outros três vôos partindo de Guarulhos para Buenos Aires estão previstos até as 14 horas desta segunda-feira Em Porto Alegre, um avião para Buenos Aires está atrasado há mais de três horas e outros três estão com decolagem prevista para madrugada de segunda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.