Novo alvo são fundos de investimento

Os estudos que apontam o Brasil, ao lado de países da África, como a grande fronteira para o aumento da produção de alimentos do mundo estão na origem do alerta à compra de terras por estrangeiros, estimulada ainda pela busca de investimentos seguros depois da crise econômica mundial.

Cenário: Marta Salomon, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2010 | 00h00

Nova reunião do grupo de estudos do governo está prevista para até o fim do mês. Em debate, medidas extras de controle do avanço estrangeiro. Um dos alvos é a compra de terras por fundos de investimento, cujo controle se mostra mais complicado.

Há quase 40 anos, a legislação brasileira já prevê restrições à compra de terras por estrangeiros. Mas os cadastros de terras são considerados falhos. O apoio à informatização dos cartórios foi objeto de uma primeira parceria entre governo e o Conselho Nacional de Justiça. O enquadramento das empresas brasileiras de capital estrangeiro, liberadas do controle por mais de dez anos, integra essa estratégia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.