Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Novo apagão no País depende de Deus, afirma Lula

Ao contrário de Dilma e Lobão, presidente admite que não há certeza sobre causa; 'estamos na fase do achismo'

Carolina Freitas, da Agência Estado,

13 Novembro 2009 | 14h02

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 13, que as chances de outro apagão acontecer no Brasil depende "de Deus". "Se alguém pergunta para mim, 'mas presidente, pode acontecer alguma coisa outra vez?' olha, a única chance de não acontecer nada nesse País é se Deus quiser que não aconteça. Fora de Deus, os seres humanos estão todos plausíveis de erros", afirmou. O presidente avaliou que a investigação sobre as causas do blecaute que deixou 18 Estados sem luz na última terça-feira ainda está na "fase do achismo."

 

Lula fez as declarações após a abertura do 9º Congresso Nacional de Iniciação Científica (Conic), no campus Liberdade das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), em São Paulo. "Só posso confiar em informações técnicas para saber se tem coisa além do que eles, ministros da área energética, me colocaram, de que seria por conta das intempéries", disse.

  

Veja também:

link'Não é atribuição do Inpe opinar sobre energia', diz Lobão

linkNão estamos livres de blecautes, afirma Dilma

linkMPF abre procedimento para investigar apagão

especialOs números do apagão nos 18 Estados

especialApagão vira jogo de empurra e disputa eleitoral; veja as frases

especialO Brasil no escuro: entenda o efeito dominó do sistema

mais imagens Imagens do blecaute que atingiu o Brasil

som Procon explica como proceder em caso de prejuízos

lista Leia a cobertura completa sobre o blecaute

 

Ao contrário da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, e do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que tentaram dar o caso por encerrado, Lula admitiu que não há certeza sobre o que motivou o blecaute. "Nós estamos na fase do achismo. Quando terminar a fase do achismo, nós vamos entrar na fase mais objetiva, que são os resultados concretos de toda a investigação", afirmou. "O caso foi muito delicado. Não estourou nenhuma torre, não desmontou nada e aconteceu um blecaute sem tamanho. Já vi tanta coisa que fico sempre com cuidado."

 

O presidente citou a possibilidade de o problema ter sido causado por um raio, excesso de carga ou até mesmo erro humano. Descartou, no entanto, a hipótese de tratar-se de uma sabotagem. "Descarto sabotagem. Quem quer fazer sabotagem para o Brasil nesse momento tão bonito? Não acredito."

 

Questionado se estava preocupado com os efeitos negativos do incidente para a imagem do governo às vésperas de um ano eleitoral, sorriu e respondeu, sem citar nomes: "Tem gente que gostaria." Para Lula há pessoas que tratam o apagão com o mesmo "prazer" que trataram o acidente com um avião da TAM, em julho de 2007.

 

"Tenho notado algumas pessoas falando do apagão com o mesmo prazer que falavam culpando o governo quando o avião da TAM teve aquele acidente no aeroporto de Congonhas. Escreveram que o governo iria carregar 200 mortes nas costas", disse. "Até que a verdade foi aparecendo e prevalece que teve uma falha humana no avião da TAM", finalizou.  

 

Mais conteúdo sobre:
apagao2009

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.