Novo endereço para a candidata

Novo endereço para a candidata

Ao deixar o cargo, Dilma trocará residência oficial por uma casa em Brasília bancada pelo PT

Vera Rosa / BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

24 de março de 2010 | 00h00

A oito dias de deixar o governo para se dedicar à campanha, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto, já começou a arrumar as malas. Sua mudança da residência oficial localizada na Península dos Ministros para uma casa perto dali, também no Lago Sul ? elegante bairro de Brasília ?, será feita na próxima semana.

A nova moradia de Dilma é térrea, com três quartos ? sendo uma suíte com closet e banheira de hidromassagem ?, piscina e churrasqueira no quintal. Trata-se de uma casa confortável, mas está longe de ser uma mansão e não tem vista para o lago. O aluguel acertado pelo PT, segundo dirigentes do partido, está "na faixa de R$ 15 mil" por mês.

Animada, Dilma visitou vários imóveis antes de optar pela casa do Lago Sul, com fachada pintada de bege e charmoso jardim na frente. Chegou a ver até mesmo o sobrado alugado durante anos pelos então ministros Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento) e Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais). Descartou, porém, as residências mais luxuosas ? alegando não gostar de ostentação ? e as que tinham escadas, por causa de sua mãe, que é idosa.

Além da casa no Lago Sul, o PT vai alugar um escritório para Dilma despachar logo depois da Páscoa. O comitê central da campanha, com inauguração prevista para julho, deverá ficar próximo do Diretório Nacional do PT, no Setor Comercial Sul.

Pechincha. Os petistas só não fecharam negócio porque ainda pechincham o aluguel. O preço inicial era de R$ 42 mil mensais por três andares (térreo, sobreloja e primeiro piso) do prédio, mas, na semana passada, corretores aumentaram o valor e disseram ao Estado que o aluguel, ali, seria de R$ 47 mil. O PT tenta reduzir para R$ 30 mil.

Dilma passará o comando da Casa Civil para Erenice Guerra, atual secretária-executiva, em 1.º de abril. Depois da Páscoa, ela vai se dedicar à montagem dos palanques estaduais. Tem também muitos convites para fazer palestras. A equipe da campanha já marcou reuniões com empresários e visitas a governadores, prefeitos, além de encontros com militantes do PT e dirigentes de partidos aliados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.