Novo tremor de terra preocupa povoado no interior paulista

Os moradores da zona rural de Andes, povoado de Bebedouro, na região de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, voltaram a ficar alarmados. Os tremores de terra ficaram mais fortes desde a noite de domingo, 9, principalmente no epicentro, na Fazenda Santo Antônio. O técnico em sismologia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG), da Universidade de São Paulo (USP), José Roberto Barbosa, esteve no local entre segunda-feira, 10, e terça, 11, coletando dados dos registros para estudos. Os tremores não chegaram a 1 grau de magnitude na Escala Richter."Foram alguns eventos mais fortes, mas na categoria de microtremores. A sensação é de maior intensidade devido à região do epicentro", disse Barbosa, que geralmente coleta os dados uma vez por mês. A suspeita é de que os poços artesianos de fazendas vizinhas estejam provocando os tremores, mas um relatório do IAG deverá ficar pronto em um mês. O maior tremor registrado em Bebedouro foi de 2,9 graus na Escala Richter, ocorrido no final de abril do ano passado.José Siles Cagnin, proprietário da fazenda Santo Antônio, informou que sentiu os tremores mais fortes às 23h15 e 23h18 do domingo e às 3h50 e 19h30 da segunda-feira. Janelas e um barracão tremeram e despertaram a atenção. "Estou mais acostumado devido aos contatos com os pesquisadores do IAG, mas tem uma vizinha que pensa em se mudar, o que não adianta", comentou Cagnin, que não registrava tremores intensos havia pelo menos cinco meses. Os sismógrafos, instalados em março do ano passado, continuarão em Andes. Os tremores no local começaram em janeiro de 2004, mas se intensificaram a partir do início de 2005. Os abalos foram sentidos até nos municípios vizinhos de Taiúva, Taiaçu e Pirangi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.