Novo tumulto deixa oito feridos em complexo prisional do Recife

Sistema penitenciário do Estado está sob estado de emergência; quatro pessoas morreram durante conflitos nos últimos 10 dias

Angela Lacerda, O Estado de S. Paulo

01 de fevereiro de 2015 | 21h34

RECIFE - Tumulto no final da tarde deste domingo, 1º, no complexo prisional do Curado, no Recife, deixou oito detentos feridos, um deles em estado grave, devido a acerto de contas entre presos dos pavilhões "P" e "I" do Presídio Juiz Antonio Luiz Lins de Barros (Pjalb) - uma das três unidades do complexo. 

O dia tinha se iniciado com tranquilidade e a visita dos familiares já se encerrava quando ocorreu o conflito. De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário de Pernambuco (Sindasp-PE), João Carvalho, os detentos dos pavilhões se enfrentaram com facões. Os agentes penitenciários controlaram a situação e em seguida o Batalhão de Choque da Polícia Militar fez uma revista no complexo, com cães. O Choque permanece no lado externo do complexo prisional.

Dos oito feridos, quatro foram atendidos no Hospital Otávio de Freitas. Um deles passou por cirurgia. Os outros foram socorridos na própria unidade.

No sábado, 31, um detento foi morto e outros dois ficaram feridos em um conflito na unidade, provocado pela revolta dos detentos diante da operação padrão dos agentes penitenciários. A medida causou atraso nas visitas íntimas.

O sistema penitenciário do Estado, que enfrenta superpopulação, está sob estado de emergência, decretado pelo governador Paulo Câmara, nesta semana. Quatro pessoas - um policial militar e três detentos - morreram no complexo prisional nos últimos 10 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
CuradoRecife

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.