Novo tumulto na Febem é controlado em meia hora

Internos da Unidade Educacional (UE) 20 da Fundação Estadual o Bem-Estar do Menor (Febem) do Tatuapé, na zona leste de São Paulo, iniciaram um novo tumulto na tarde desta quarta-feira, 5, por volta das 14h45. Na unidade, que abriga 90 primários acusados de crimes graves, com idades entre 14 e 16 anos, os adolescentes queimaram colchões e subiram no telhado.Além deles, também se rebelaram internos da UE 9. O motim foirapidamente controlado pela Tropa de Choque da Polícia Militar, que ocupou o complexo. Os policiais, que revistavam outras unidades que se rebelaram entre a noite de ontem e a manhã desta quarta, dispararam balas de borracha e usaram gás pimenta e gás lacrimogêneo para conter os internos. Pelo menos um funcionário foi levado de ambulância para um pronto-socorro nas imediações. É a segunda rebelião no complexo em menos de 24 horas. Os internos de cinco unidades do Complexo do Tatuapé iniciaram uma rebelião após uma briga, por volta das 21h30 de terça-feira, 4, e mantiveram 26 pessoas como reféns, inclusive cinco mulheres.A Febem informou que divide a responsabilidade pelosepisódios da noite de ontem com prefeitos do interior que resistem à idéia de ter pequenas unidades da instituição construídas em suas cidades. Com isso, complexos comoo Tatuapé recebem infratores de todo o Estado, o que agrava a superlotação. Os adolescentes estão agrupados no pátio da unidade, onde passam por revista. Motim anteriorSegundo a Febem, o motim iniciado na noite de terça deixou 18 feridos, sendo 13 internos e 5 agentes. Eles foram levados para receberem atendimento no Pronto Socorro Tatuapé. Segundo informou a assessoria da instituição, apenas um funcionário ficou gravemente ferido. Na noite de ontem, ele pulou o muro do complexo para não ser feito refém e acabou quebrando uma perna.O motim foi controlado por volta das 8 horas desta quarta-feira após a entrada dos policiais militares da Tropa de Choque, que usaram helicópteros para descer no telhado da instituição dando tiros de advertência. Um policial acabou caindo e se ferindo. Cerca de 200 PMs participaram da operação.DesativaçãoNa semana passada, quando ainda era governador do Estado, Geraldo Alckmin participou do início do processo de desativação do complexo Tatuapé da Febem. O espaço será transformado em parque. O ex-governador informou que o parque será implementado em duas etapas. A primeira fase está localizada na área que fica de frente para a Avenida Celso Garcia e ao lado da Polícia Militar. A previsão é que a demolição da unidade seja concluída em 90 dias e a construção do parque, em fase de licitação, deve começar em junho. O novo modelo que o governo do Estado quer para a Febem é o baseado na descentralização, com unidades pequenas, construídas de preferência nas cidades de origem dos jovens e onde possam ser aplicadas medidas socioeducativas. As visitas dos pais aos menores infratores ficaria muito mais facilitada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.