Núcleo denuncia violência policial em ato na Paulista

O Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) entregou nesta terça-feira ao secretário da Segurança Pública, Marco Vinicio Petrelluzzi, um dossiê denunciando o uso de violência abusiva pela polícia durante manifestação na Avenida Paulista em abril.No relatório são apresentados casos de pessoas agredidas por policiais militares depois de algemadas e de outras que teriam sido vítimas no 78º Distrito Policial, nos Jardins. O secretário informou que vai falar sobre o documento nos próximos dias, depois de analisá-lo.O conflito do qual resultaram as agressões aconteceu durante protestos contra a Área de Livre Comércio das Américas (Alca). De acordo com os relatos colhidos pelos pesquisadores, policiais militares em motos teriam iniciado o confronto. Depois teria chegado a Tropa de Choque.Para o coordenador do NEV, o sociólogo Sérgio Adorno, a forma como se deu o episódio denota falta de organização para lidar com manifestações populares. "Flagrante abuso de força desnecessária."De acordo com ele, o objetivo do dossiê é cobrar providências. "Mas também mostrar ao Estado que a sociedade não admite essa prática da polícia."Cerca de 1.500 pessoas participaram da manifestação, 69 foram detidas, e quase cem, feridas. Além do abuso da força, o relatório também aponta falhas de comunicação entre a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a polícia.A empresa teria sido avisada da manifestação, mas um oficial da PM, durante o ato, teria dito não saber dessa autorização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.