Número de corpos identificados chega a 104

Mais nove vítimas do acidente com o Airbus da TAM foram identificadas ontem pelo Instituto Médico Legal (IML). Até agora são 104 vítimas devidamente registradas. Ontem, foi informada dos resultados dos exames a família do argentino Alejandro Guillermo Camozzi, de 31 anos, que vivia em São Paulo. Segundo informações da Embaixada Argentina, ele estava viajando a negócios. Também se confirmou a identificação do analista de sistemas Ésio Siqueira Freitas, que tinha acabado de completar 24 anos dias antes do acidente e morava com a namorada em São Paulo; de Diogo Casagrande Salcedo e de Vinícius Costa Coelho. A mesma lista inclui o administrador de empresas Arthur Souto Maior de Queiroz, de 28 anos, que era funcionário da Eletropaulo e morava em São Paulo. O administrador também viajava a trabalho, segundo a família. Outro identificado foi Adrien Bisson, que segundo a TAM era colaborador da empresa e trabalhava no prédio da TAM Express no momento em que o Airbus A320 se chocou com o prédio. A espera também terminou para a família do representante de vendas José Carlos de Oliveira, que era casado há 18 anos com a dona de casa Neusa Maria de Oliveira, de 40 anos. O casal tem três filhos Oliver, de 17 anos, Juan, de 13, e a caçula Pamela, de 3. A família havia se mudado de Porto Alegre para São Paulo em dezembro e planejava comprar um apartamento. Oliveira viajava de Porto Alegre à capital paulista todas as semanas. Também foram identificados ontem os corpos da advogada Bruna de Villi Chaccur e de Renato Garcia Ribeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.