Número de desaparecidos em naufrágio é de apenas 3

São três os desaparecidos no acidente com a escuna Tona Galea, que adernou ao meio-dia de ontem, em Cabo Frio, Região dos Lagos: Oswaldo Meneguetti, Alexandre Boueres, os dois de São Paulo, e Edson Celestino Silva, de Belo Horizonte. Segundo o Secretário estadual de Defesa Civil, Carlos Alberto de Carvalho, o número final de desaparecidos foi levantado após verificações nos hotéis e pousadas da cidade. Descobriu-se que várias pessoas foram resgatadas com vida por botes e embarcações sem o conhecimento da Defesa Civil. No fim da tarde de ontem, o número de desaparecidos chegava a nove, segundo a Marinha. A Defesa Civil divulgou também hoje o último nome que faltava na lista das 12 mulheres mortas: Maria Caffetti, que veio de São Paulo. Dos 62 passageiros, 25 eram de São Paulo, 34 de Minas Gerais, um de Niterói, no Grande Rio, e dois ainda não tiveram a procedência descoberta.Segundo a polícia, os dois tripulantes - o comandante da escuna, Norberto Guimarães Silveira, e Ângelo Marcio Pinto Tavares - estão sendo procurados, mas ainda não são considerados foragidos porque não foram indiciados. Os policiais também procuram o presidente da Coopnav, cooperativa que administra os passeios de escuna em Cabo Frio, José Henrique de Azevedo. Na sede da empresa, no canal Boulevard, havia o aviso: "Por razão de luto, não operaremos por tempo indeterminado." Os bombeiros retomaram as buscas hoje pela manhã, por volta de seis horas, entre as cidades de Cabo Frio e Arraial do Cabo.18 mergulhadores procuram vítimasDezoito mergulhadores mais um grupo de 20 bombeiros na orla, usando botes infláveis motorizados e pranchas de surfe, trabalham na busca de vítimas. Já a Capitania dos Portos informou que um helicóptero da Marinha vai realizar sobrevôos no litoral para ajudar na operação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.