Número de estrangeiros para o réveillon do Rio cresce 12%

O número de estrangeiros que escolheram o Rio para passar o réveillon cresceu 12% este ano. E, a quatro dias da festa, o setor turístico comemora que a taxa de ocupação dos hotéis chegou a 98% entre o Leme e o Leblon e a 85%, na Barra da Tijuca. Somados os turistas de outros Estados e do exterior com os cariocas, 2,5 milhões de pessoas são esperados no réveillon na Praia de Copacabana. O grande número de visitantes, 346 mil, sendo 34% de fora do País, anima os hoteleiros. Em 2002, os hóspedes só chegaram para a festa. Em 2003, muitos preferiram curtir a cidade por mais tempo. Pela primeira vez, o inglês Steve Andrews, de 35 anos, está aproveitando os dias que antecedem a passagem do ano para conhecer o Rio. Ontem, apesar do tempo instável, ele passou a manhã em um quiosque do Posto 6, em Copacabana. "Vou esperar o novo ano, de branco, em Copacabana e depois vou a Ipanema", disse, entre uma caipirinha e outra. Veteranos, os suecos Lars Gustavsohn, de 57 anos, e a mulher, Julia, de 54, que vêm para a virada pela quinta vez, também chegaram antes para apreciar a cidade. Passaram a sexta-feira tomando cerveja à beira-mar. "Nós amamos o Rio. Já moramos oito anos em Ipanema e passamos a vir sempre", contou Lars. O presidente da Associação de Indústria de Hotéis, Alfredo Lopes, acredita que dois fatores influenciaram o aumento no volume de turistas estrangeiros este ano: a gradual recuperação econômica da Argentina (que hoje ocupa o terceiro lugar entre os países que exportam turistas, perdendo somente para os Estados Unidos e a Alemanha) e os títulos que o Rio conquistou este ano: o de sede dos Jogos Pan-Americanos de 2007, o de cidade mais simpática do mundo e o de melhor cidade das Américas fora dos Estados Unidos. Fogos Quem estiver em Copacabana à meia-noite, no dia 31, vai apreciar um show pirotécnico grandioso, com 12 minutos de duração, e a queima de 20 mil bombas (ou 156 toneladas, 30% a mais do que no ano passado). Entre os efeitos novos, está a imitação de um vulcão e um desenho em alusão ao Pan. A amurada do Forte de Copacabana será ornamentada por uma cascata de 400 metros. O lançamento dos fogos será feito de oito balsas, a 360 metros da areia. Também haverá embarcações nos bairros do Flamengo e Icaraí, em Niterói. A prefeitura estima que a festa, que está custando R$ 3,4 milhões (sendo cerca de 40% da iniciativa privada), crie US$ 120 milhões para a cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.