Número de homicídios no País sobe principalmente no interior

A taxa de homicídios entre jovens entre 15 e 24 anos no Brasil passou de 128 por 100 mil habitantes em 1980 para 137 por 100 mil em 2002, enquanto na população em geral essa relação caiu de 633 por 100 mil para 573. Entre os negros, a proporção de homicídios é 65,3% superior àquela registrada entre os brancos. Os dados mostram também que, de 1999 a 2002, o número de homicídios cresceu mais no interior do que nas capitais e regiões metropolitanas. Assim é que, enquanto esse número cresceu 1,2% nas capitais, no período pesquisado, ele cresceu 8% no interior.Esses dados, levantados pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), foram divulgados, há pouco, pelo coordenador do escritório da Unesco em Pernambuco, Júlio Jacobo, juntamente com o representante da Unesco no Brasil, Jorge Werthein, e o secretário-adjunto da Secretaria de Direitos Humanos, Mário Mamede. O Mapa da Violência mostra, também, que a violência se concentra mais na população com entre 15 e 24 a nos, sendo que o pico é aos 20 anos e o maior número de homicídios ocorre nos fins de semana. "A dificuldade de acesso à educação é certamente uma das razões do aumento da violência", avaliou Jorge Werthein. "Se tivéssemos mais jovens no ensino médio, é óbvio que teríamos menos jovens morrendo". O levantamento mostrou, também, que 31,2% das mortes de jovens em 2002 foram causados por armas de fogo, ante 25% em1998. Mário Mamede ressaltou a necessidade de, no referendo sobre venda de armas de fogo no País, programado paraoutrubro, se proibirem efetivamente as armas de fogo. "Vamos decidir que tipo de sociedade vamos querer: uma sociedade depaz, ou se vamos alimentar essa cultura da violência", afirmou.

Agencia Estado,

07 de junho de 2004 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.