Arte: estadao.com.br
Arte: estadao.com.br

Número de mortos em acidente com barragem sobe para 6

Água da Barragem de Algodões I chega a estrada e isola o litoral do Piauí; Cocal fica sem luz até domingo

Fabio M. Michel - Central de Notícias,

29 de maio de 2009 | 20h12

A Polícia Militar do Piauí acaba de confirmar mais uma vítima fatal na região da Barragem de Algodões I, em Cocal. No início da noite desta sexta-feira, 29, foi resgatado o corpo da menina Maria Andreina Pereira, de 6 anos, na localidade de Franco.

 

Veja também:

linkÁgua atinge rodovia e isola litoral

link Bombeiros retomam buscas a desaparecidos

mais imagens Galeria de fotos do acidente

 

Com isso, sobe para 6 o total de óbitos na região da barragem, que se rompeu na manhã de ontem. A criança era uma das pessoas que estavam oficialmente desaparecidas. A lista agora cai para três.

 

O rompimento da barragem deixou 80 pessoas feridas. O número de desabrigados chega a dois mil e de desalojados é de 953.

 

Com a enxurrada provocada pelo rompimento da barragem,120 casas foram destruídas. O acidente, na divisa com o Ceará, afetou 2.953 pessoas. Até o momento, são 953 desalojados, 2 mil desabrigados e 80 feridos leves. Foram montados dez abrigos provisórios em escolas e ginásios do município e dois helicópteros do Governo do Piauí já auxiliam no transporte de alimentos e resgate da população.

 

Na quinta-feira, 28, a presidente da Empresa de Gestão de Recursos do Piauí (Emgerpi), Lucile Moura, informou que o governador Wellington Dias determinou a criação de um comitê técnico para avaliar o ocorrido na barragem.

 

Segundo ela, também, foi determinado pelo governador que a Secretaria de Segurança instaure um inquérito para apurar as responsabilidades pelo desabamento.

 

O Ministério Público Federal no Piauí também vai entrar nas investigações sobre o rompimento da Barragem Algodões I. O procurador-chefe da Procuradoria da República no Piauí, Kelston Pinheiro Lages, disse que o MPF irá investigar o caso em toda a sua extensão.

 

O procedimento foi distribuído ao procurador da República Marco Túlio Lustosa Caminha que irá oficiar aos órgãos competentes pela construção e manutenção da barragem para saber quais as causas que concorreram para o rompimento da barragem. Técnicos da Polícia Federal e do Tribunal de Contas da União poderão ser requisitados pelo MPF para a elaboração de um relatório técnico.

 

Mais conteúdo sobre:
barragempiauí

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.