Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Número de mortos em Angra dos Reis chega a 46

Incluindo os mortos na Baixada Fluminense desde a virada do ano, são 68 mortos no Estado do Rio

estadao.com.br,

03 Janeiro 2010 | 21h05

Mais dois corpos foram encontrados entre o fim da tarde e a noite deste domingo, 3, no Morro da Carioca, em Angra dos Reis, elevando para 17 o número de vítimas dos deslizamentos que atingiram o centro do município na madrugada do dia 1º. Com o novo número, chega a 46 o total de mortos em Angra dos Reis em decorrência das chuvas.

 

Além dos dois novos corpos encontrados na Morro da Carioca, os bombeiros encontraram durante a tarde deste domingo o corpo de mais uma mulher na Praia do Bananal, em Ilha Grande, onde o total de mortos chegou a 29. Estima-se que mais três corpos ainda estejam soterrados no local.

 

Também neste domingo, foram localizados outros dois corpos no Morro da Carioca: o de um menino entre 3 e 4 anos, por volta das 15h30 e, pela manhã, o de uma menina de 6 anos.

 

Veja Também

linkEletronuclear descarta fechamento de usinas de Angra

linkGovernador do RJ critica ocupação de morros

linkChuvas na Baixada Fluminense já deixam 3.968 desalojados

especialLeia todas as matérias sobre a tragédia em Angra dos Reis

especialDeslizamento em Angra deixou 35 mortos em 2002

somANGRA: Representante de turismo descreve situação caótica na região  

 

Incluindo os mortos na Baixada Fluminense desde a virada do ano, são 68 mortos no Estado do Rio no período.

 

De acordo com o coronel Jerri Andrade Pires, do 10º Grupamento do Corpo de Bombeiros, a estimativa é de que haja mais três corpos no Morro, já que alguns moradores ainda reclamam do desaparecimento de familiares, por conta do deslizamento causado pelas das fortes chuvas na virada do ano.

 

O prefeito de Angra, Tuca Jordão, pediu neste domingo que os moradores da área de risco da Praia do Jardim 2 não retornem para casa. Os membros das 12 famílias desalojadas do bairro Sapinhatuba III, que fica acima da Rodovia BR-101, a Rio-Santos, também deverão permanecer nos abrigos, assim como os moradores do condomínio Praia do Jardim 2, abaixo da pista.

 

O trecho da rodovia Rio-Santos, em Angra dos Reis, que havia sido interditado por riscos de novos desabamentos foi liberado na manhã deste domingo, depois de uma avaliação feita pelo diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antonio Pagot.

 

O fluxo foi liberado em esquema de revezamento, ora liberado para o sentido Rio, ora para o sentido Santos. O diretor-geral do DNIT destacou, no entanto, que a rodovia será novamente interditada no quilômetro 477 caso volte a chover.

 

Saques

 

No Morro da Carioca, pessoas que tiveram suas casas condenadas estão se recusando a sair com medo de terem seus bens levados por saqueadores. Muitas residências que já estão vazias com seus moradores em abrigos ou em casa de parentes foram roubadas. Neste domingo, debaixo de um sol forte e temperatura que chegava aos 40 graus, jovens, mulheres e idosos uniam esforços para retirar aparelhos de televisão, geladeiras, micro-ondas e até armários de suas casas. A Defesa Civil aponta risco em 98 casas ainda ocupadas.

 

"Tivemos que desocupar porque abriu uma cratera. A próxima chuva vai levar a minha casa, a da minha mãe e a do meu cunhado. O problema é que a gente sai e vêm uns bandidos aqui para saquear. Levaram computador, televisão e objetos pessoais do nosso vizinho. Precisa reforçar o policiamento aqui", queixou-se o pastor da Assembleia de Deus Carlos Alberto Amaral de Oliveira, 42 anos.

 

Moradores de Angra que tiveram que abandonar suas casas tentam salvar bens de saqueadores

 

Transtorno

 

Em Angra dos Reis, os temporais e deslizamentos já deixaram 337 moradores desabrigados e outros 565 desalojados, de acordo com dados da prefeitura de Angra, que está em Estado de calamidade pública desde a última sexta-feira, 1, após os deslizamentos.

 

As chuvas provocaram transtornos em Ilha Grande, que teve o fornecimento de água e energia prejudicados, assim como o sistema de telefonia. Muitas pousadas funcionam com geradores. Houve deslizamentos na área, como na ilha particular do cirurgião plástico Ivo Pitanguy, onde estava hospedado Pierre Sarkozy, filho do presidente da França, Nicolas Sarkozy.

 

(Com Solange Spigliatti, do estadao.com.br, Felipe Werneck e Alfredo Junqueira, de O Estado de S. Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.