Número de mortos na Região Serrana do Rio chega a 676

Mais corpos foram encontrados em Nova Friburgo e Teresópolis, segundo a Polícia Civil

Priscila Trindade, Pedro Dantas e Rosana de Cássia, Estadão.com.br

18 de janeiro de 2011 | 09h21

RIO, SÃO PAULO e BRASÍLIA - Mais corpos foram encontrados em Nova Friburgo e Teresópolis, na Região Serrana do Rio, fazendo subir para 676 o número de vítimas dos deslizamentos de terra e enxurradas provocados pela forte chuva no Estado. A informação foi divulgada na manhã desta terça-feira, 18, pela Polícia Civil fluminense.

 

Veja também:

linkTemporal mudou a geografia da região

linkExército começa a erguer pontes provisórias

linkMoradores cogitam voltar a construir em área arrasada

linkGoverno lança sistema de alerta que já deveria estar pronto

blog Gabeira: Faltaram projetos e decisão política

mais imagensGALERIA - Grandes imagens da tragédia

mais imagensGALERIA 2 - Imagens de destruição e desespero

 

O município com maior número de mortos é Nova Friburgo. Até o momento, 319 morreram na cidade. Em Teresópolis, 277 morreram e, em Petrópolis, foram 56 vítimas. Em Sumidouro foram 19 mortes; outras quatro em São José do Vale do Rio Preto e uma em Bom Jardim.

 

Equipes do Corpo de Bombeiros e da polícia continuam o trabalho de resgate de corpos e socorro as pessoas ilhadas nas cidades da Região Serrana. O número de desalojados e desabrigados na região passa de 13 mil.

 

Visita. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, viaja nesta manhã para o Rio de Janeiro, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra. Os dois e mais o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, seguirão de helicóptero, para a Região Serrana, para visitar as áreas afetadas pelas chuvas, segundo o Ministério da Defesa.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.