Número de mortos no Urso Branco sobe para 10

Subiu para dez o número de presos mortos na rebelião do presídio Urso Branco, em Porto Velho, iniciada no domingo e que pode acabar a qualquer momento, já que a Secretaria de Segurança Pública de Rondônia atendeu praticamente a todas as reivindicações dos presidiários. Pelo menos três corpos continuam ainda pendurados em uma caixa d´água, ocupada pelos amotinados. O clima no Urso Branco permaneceu tenso durante todo o dia, principalmente pelo fato de as autoridades locais terem ameaçado cortar o fornecimento de água, energia elétrica e alimentação. Mas no final da tarde, os negociadores do governo conseguiram praticamente conter novas mortes ao concordar com a maioria dos pedidos dos rebelados, inclusive demitindo o diretor do presídio, Luiz Alves, que foi acusado por familiares de presidiários de ser o responsável pelo motim.Do lado de fora do Urso Branco, um dos maiores presídios de Rondônia, mais de 300 pessoas aguardavam notícias de dentro da penitenciária e,como no dia anterior, ficavam aterrorizados com as cenas. Desta vez, ao invés de esquartejar corpos, os amotinados faziam questão de exibirmais mortos. Pelo menos 24 pessoas continuavam amarradas esperando serem assassinadas, segundo informações extraoficiais. ?Os corpos queestavam na caixa d´água provavelmente são de presos mortos em dias anteriores?, afirmou Renato Eduardo de Souza, secretário-adjunto deSegurança Pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.