Número de urnas com problemas estabiliza

O número de urnas que apresentaram problemas se estabilizou entre os boletins das 11h45 e o das 12h45. De acordo com o TSE, as mesmas 1.032 urnas com problemas contabilizadas no penúltimo boletim aparecem neste último, sem aumento da contagem. O número representa 0,29% do total de 361.431 em atividade.O número de locais onde a votação está sendo feita em papel, contudo, aumentou de seis para sete, no boletim da 12h45.O Rio Grande do Sul é o Estado onde está havendo o maior número de seções eleitorais em que a votação está sendo efetuada em cédulas de papel. De acordo com os dados do TSE, quatro seções do Rio Grande do Sul não estão podendo usar a urna eletrônica.Os Estados de Minas Gerais, Paraíba e Goiás têm, cada um, uma seção eleitoral em que a votação teve que ser feita em papel. Às 12h30min do primeiro turno, o TSE tinha contabilizado um total de 21 seções em que votação foi manual.O TSE também informou que a votação já foi encerrada em 39 países onde há brasileiros aptos a votar neste segundo turno das eleições presidenciais. O primeiro país a encerrar o período de votação foi a Nova Zelândia, onde a eleição foi finalizada às 2 horas da manhã (horário do Brasil).Já encerram a votação países como a Alemanha, a Suécia, a África do Sul, Israel, Marrocos, Líbano, Dinamarca e Espanha. Nas primeiras horas do dia, a votação já havia acabado na Austrália, na Malásia, no Japão, na Coréia, na China, nas Filipinas e em Cingapura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.