Reprodução
Reprodução

Nuvem de cinzas diminui e perde altitude; voos já foram retomados

Previsão é que fumaça expelida se movimentasse em direção ao mar, ao sul da Argentina

Priscila Trindade, estadão.com.br

15 de junho de 2011 | 08h27

SÃO PAULO - A intensidade da nuvem de cinza vulcânica sobre o território brasileiro foi sensivelmente diminuída, segundo informou a Força Aérea Brasileira (FAB). As cinzas remanescentes estavam restritas a uma estreita faixa vai de Buenos Aires até Florianópolis, passando pelas cidades gaúchas de Santa Maria, Bagé e Porto Alegre.

 

Segundo o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), a concentração de cinzas residuais está a menos de 800 metros do solo, ou seja, abaixo da altitude utilizada pelas aeronaves. O próximo boletim sobre a situação deve ser emitido depois das 11 horas.

 

De acordo com a última previsão do Volcanic Ash Advisory Centres da Argentina (VAAC), feita ontem à tarde, a fumaça ainda expelida pelo vulcão chileno Puyehue se movimentava de oeste para leste, em direção ao mar, e atingia apenas o sul da Argentina. Era previsto que a área atingida pela nuvem diminuísse com o decorrer do dia.

 

Ontem, a Gol afirmou que iria retomar as decolagens para a Argentina e para o Uruguai. A empresa começou a contatar clientes que tiveram a programação alterada para informar sobre a decisão.

 

A TAM disse que voltou a operar normalmente seus voos de e para Buenos Aires e Montevidéu a partir das 17 horas de ontem. A empresa afirmou que continuará avaliando as condições de voo nestas rotas e, caso haja riscos, poderá voltar a suspender a operação.

 

A Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, foi um dos mais afetados pela nuvem. Diversos voos foram cancelados desde que o vulcão chileno Puyehue, que entrou em erupção há 11 dias. Hoje, um avião decolou para Montevidéu, no Uruguai, e um voo chegou de Buenos Aires, na Argentina. Dos sete voos previstos para decolar do aeroporto até as 7 horas, um atrasou e dois foram cancelados.

 

No total, das 19 partidas internacionais programadas, três (15.8%) atrasaram e duas (10.5%) foram canceladas, de acordo com boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.