O berço dos bandeirantes desfila nas asas da Gaviões

Na volta à elite do samba, escola irá contar a história da cidade de Santana de Parnaíba

Marcela Spinosa, Jornal da Tarde

11 Janeiro 2008 | 10h32

A primeira escola a passar pelo do Anhembi no desfile do carnaval 2008 entrará na avenida com a missão de dar uma pouco de alegria aos corações corintianos. Com o time na Série B, a Gaviões da Fiel promete abrir sua volta ao Grupo Especial em grande estilo. Na briga pelo título, a escola, que entrará no sambódromo às 23h15 da sexta-feira, dia 1º de fevereiro, irá contar a história da cidade de Santana de Parnaíba, berço dos bandeirantes do século 18. A Gaviões investiu cerca de R$ 1,2 milhão no desfile. O carnavalesco da escola, o carioca Mauro Quintaes, conta que a idéia para o enredo deste ano foi proposta pela prefeitura de Santana de Parnaíba. "Ali foi o marco do início da exploração com a chegada dos bandeirantes ", afirma.  Quintaes explica que o diferencial na avenida ficará por conta dos carros. "Eles serão vazados. O folião conseguirá identificar forma e movimento nas esculturas", explica o carnavalesco. No carro abre-alas, por exemplo, o público conseguirá ver o interior das ocas que representarão a vida dos índios e seu primeiro contato com os bandeirantes no século 18. No terceiro carro, uma cachoeira simbolizará a força das águas que impulsiona a Hidrelétrica de Parnahyba, inaugurada em 1901.  A figura central do desfile será o bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, conhecido como Anhangüera. O sertanista nasceu em Santana de Parnaíba e desvendou os caminhos do Brasil até chegar ao sertão de Goiás. "Haverá uma dramatização no segundo carro que fará o truque com o qual Anhangüera impressionou os índios: ele ateou fogo na aguardente como se estivesse incendiando os rios".  O "delírio dos bandeirantes" com a exploração do ouro e pedras preciosas, além de algumas das 209 edificações tombadas pelo Patrimônio Histórico construídas na cidade estarão representada em algumas das 22 alas da escola. O desfile termina com outra dramatização no quinto e último carro. Desta vez, os gaviões encenarão a Paixão de Cristo. "Ele representa a motivação, a esperança e a fé para que tudo dê certo no desfile e para o Corinthians em 2008", finaliza Quintaes.

Mais conteúdo sobre:
Carnaval 2008Gaviões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.