O caos de São Paulo organizado nos blogs

Endereços na internet retratam as diferentes faces da metrópole

Diego Zanchetta e Rodrigo Brancatelli, O Estadao de S.Paulo

18 de maio de 2008 | 00h00

A discussão sobre os novos valores do IPTU vem precedida de um comentário sobre as deliciosas receitas de uma doçaria judaica do Bom Retiro. Logo depois, um post adianta as tendências de um festival de música eletrônica marcado para setembro. No meio de assuntos tão diversos, fotos e comentários da quarta edição da Virada Cultural, realizada no mês passado. Na blogosfera paulistana, anônimos ajudam atualmente a ampliar discussões de temas e assuntos com impacto direto na vida dos moradores da capital. A São Paulo do trânsito caótico e da noite vibrante já é retratada em diversos endereços eletrônicos, criados de forma despretensiosa por profissionais liberais, estudantes, associações de bairro e até por estrangeiros radicados por aqui.''Acho que esses blogs estão ajudando a mudar a percepção que as pessoas têm sobre São Paulo'', diz Leandro Meireles Pinto, criador do Urbanistas.com.br. ''A metrópole está cada vez mais vibrante, é só parar e prestar um pouquinho de atenção. Você acha que conhece São Paulo, mas, na verdade, você só conhece a sua São Paulo. Os blogs que noticiam a cidade fazem com que você veja a cidade pela ótica de outras pessoas. Você pode reclamar de um buraco, do barulho do vizinho, do trânsito, dar dicas legais de restaurantes, baladas... E aí vira uma comunidade de pessoas interessadas no mesmo assunto: a vida da metrópole.''Há exatos dois anos, Leandro convocou três amigos de faculdade para criar um blog coletivo sobre a cidade. Hoje, são 12 colaboradores no Urbanistas e mais de 2.500 posts publicados. ''É um canal mais rápido e mais democrático para discutir as diferentes facetas de São Paulo'', diz. ''Quando teve o terremoto em São Paulo, logo postamos fotos e tivemos mais de 120 comentários de internautas. Também é um jeito mais veloz de cobrar as autoridades, quando vemos problemas. Já fizemos até um Diário de um Vazamento, contando como estava a situação de um cano quebrado da Sabesp que jorrava água na rua.''Com média de 6 mil acessos diários, o blog da fotógrafa Ana Carmem Foschini procura lançar imagens de fatos e lugares curiosos da metrópole - como de uma fábrica de geléias exóticas feitas à base de um purê de maçã sem conservantes ou a imagem de um cozinheiro quase dormindo em um restaurante da Vila Madalena. ''É um jeito diferente e sem compromisso de compartilhar minhas experiências com as outras pessoas'', diz a criadora do www.anacarmen.com/blog. No portal Limão (www.limao.com.br), do Grupo Estado, pelo menos 300 internautas também discutem nos wikisites dedicados aos bairros questões que vão desde qual é a melhor academia da Vila Mariana até a atuação do Juventus da Mooca.COBRANÇASOs blogs aos poucos se tornaram um poderoso instrumento de discussão para melhorias em bairros tradicionais, como é o caso do Morumbi, na zona sul de São Paulo. Responsável pelo endereço blogdomorumbi.com.br e morador do bairro, o jornalista Joaquim de Carvalho, de 44 anos, diz ter criado o blog a pedido de vizinhos, sem nenhum objetivo financeiro.''E vem dando resultado. Outro dia, coloquei um post dizendo que uma praça estava sem luz. No dia seguinte, a Prefeitura foi lá e colocou uma nova iluminação'', relata o jornalista, que também fala de amenidades, como comentários sobre a inauguração do primeiro fraldário para cachorros do mundo, no Shopping Cidade Jardim. ''A fralda é feita com manta 100% celulose e gel em flocos. É feita para absorção de xixi, não de fezes. Uma fralda pode ser usada durante seis horas. A idéia é permitir que os donos circulem pelo shopping e possam freqüentar restaurantes e cafés sem se preocuparem se seu cachorro fará xixi em algum lugar indevido'', diz o comentário do blog.Argentino que defende São Paulo como uma das metrópoles mais vibrantes do mundo, Tony Gálvez, radicado há seis anos na cidade, criou o endereço www.blogdesaopaulo. Nele, o estrangeiro coloca as taxas de homicídio de diferentes capitais do País para mostrar aos turistas que São Paulo é menos violenta do que capitais de vocação turística como Recife e Rio. ''Mas este blog não é um livro sagrado'', avisa o argentino aos usuários, sobre eventuais erros de informação. ''O que eu falo sobre hotéis e restaurantes, por exemplo, é uma opinião pessoal, como consumidor.''Na maior parte dos blogs, a fotografia é o elemento principal para informar os usuários de uma determinada situação - como o descarte irregular de entulho em uma praça, por exemplo. No blog www.cidadedesaopaulo.blog.br, o estudante Guilherme Lara Campos, de 24, posta todo dia uma foto e abre a discussão com os blogueiros sobre a imagem. ''Minha proposta é olhar São Paulo com mais amor e menos frieza'', filosofa.Consultor na área de mídia digital, Fernando Correa do Carmo, de 35 anos, com mestrado concluído na Cásper Líbero sobre o assunto, afirma que a blogosfera veio para ficar na internet. ''No Brasil, só estamos percebendo agora as trocas de experiências e de informações que os blogs promovem. Você tem um meio de expor suas aflições em um País onde a população quase sempre fica desassistida pelo poder público nas horas que mais precisa.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.