O desafio de sossegar e acreditar

Repórter cética e hiperativa testa um templo de ioga

Adriana Carranca, CAMPOS DO JORDÃO, O Estadao de S.Paulo

21 de março de 2009 | 00h00

Uns vão tão longe quanto a Índia. Eu viajei 184km até Campos do Jordão para buscar a mim mesma. Cética e hiperativa, tento meditar, mas não consigo fazer parar a perna, que balança involuntária, para desespero de minha irmã, instrutora de ioga. "Você é meu maior desafio", ela diz. No ashram, as atividades começam às 6h e faz-se silêncio após 21h - um pesadelo para uma notívaga como eu. Às 8h e às 16h, há ioga e meditação. E às 18h, uma cerimônia no templo, com mantras e instrumentos de percussão indiana."Você passou pelo teste da planta", diz Sundar Gopal, zombando comigo, ao me ver olhar desconfiada para o ritual de dança ao redor de uma tulasi, sagrada para os sannyasi. Sundar é voluntário no ashram, onde vive com a mulher, Venu-Gita, e a filha dela Kamala Pryia, que cuidam dos hóspedes e dão aulas de ioga. Eles foram rebatizados, assim como a cozinheira, que não atende mais por Cidinha. "Quem está aqui é a Madhurani."Café, almoço e jantar unem todos às 9h30, 13h30 e 19h30, hora da Prasada, refeição oferecida antes à divindade. O cardápio é lacto-vegetariano e a leitura de quarto, sem TV, telefone ou camareira, inclui texto sobre o abate dos animais - eu não como carne desde então. O aviso de não fumar alerta para a multa de R$ 250.O Krishna Shakti é moradia de seguidores do guru Srila Bhakti Rakshaka Sridhar Dev-Goswami Maharaj (1895-1988). E de cães, gatos, carpas, um burro, cavalos, bois e vacas, consideradas sagradas - quase todos com nomes indianos, exceto Sandy e Junior, o casal de gatos. Visitantes hospedam-se em oito chalés, a R$ 250 a diária. "Não somos hotel nem spa, mas um monastério", avisa Regina Shakti, fundadora e mestre de ioga há 30 anos. Seu ex-marido, Sripad B.V. Trivikram Maharaj, se tornou monge e vive entre Índia e Brasil. "É matéria da fé", como diz Sundar, ao tentar explicar o que, para uma cética como eu, é inexplicável. Mas, quatro dias com gente tão amável - em especial Venu-Gita, encarregada de me acordar com grande paciência - e eu me peguei cantarolando mantras no silêncio das montanhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.