O desastre da boa notícia

Anúncio de descoberta de megacampo de petróleo é como conversa de pescador: ninguém sabe ao certo o tamanho do peixe que se está embrulhando na Primeira Página dos jornais. Para ser aceita como verdade, a vantagem que se conta depende sempre da boa vontade de quem admira o feito divulgado. Só vira boa notícia quando, de um lado, isso é tudo que as pessoas querem ler e, do outro, a fonte da informação não exagera no tamanho da coisa encontrada em alto-mar.Em linguagem de pescador, o que o tal diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Haroldo Lima, disse numa rodinha de entendidos em prospecção - ô, raça! - foi que o Brasil pegou pelo rabo o terceiro maior peixe do mundo. Resultado: nem o Lula acreditou no sujeito, coitado, há dois dias não faz outra coisa senão tomar cacete de tudo que é lado. Vai entrar para a história como o homem que desmoralizou a boa notícia. Como diz o outro, "foi sem querer querendo". INSUPERÁVELÉ grande a expectativa nos EUA sobre a gafe que George Bush vai cometer com o papa hoje na Casa Branca. O presidente prometeu capricharDÚVIDAUma coisa não ficou muito clara na decisão de Romário: ele pendurou as chuteiras ou renunciou ao futebol?E viva Cacilda Becker!A entrevista de Delfim Netto a Boris Casoy na estréia do âncora na Band foi um sopro de renovação no telejornalismo brasileiro. Desde o Repórter Esso não se via nada igual. Nas poças da webMagno Malta pode ter pego dengue no Orkut, onde o senador capixaba tem passado a maior parte do tempo ultimamente por conta dos trabalhos da CPI da Pedofilia. AbadiamaniaA tentativa de invasão do presídio federal de Campo Grande (MS) pode ter sido ação do grupo que foi barrado no Bazar do Abadía. O povo não se conforma enquanto não tirar a última cueca do traficante preso na unidade de segurança máxima atacada no domingo.Quase!Naomi Campbell veio de longe para participar da campanha contra a dengue no Rio, mas, na hora agá, não pôde doar sangue por causa da cirurgia a que se submeteu há cinco semanas em SP. Nos outros pré-requisitos que desaconselham a doação - consumo de álcool, drogas e atividade sexual intensa -, foi liberada com louvor.CongressolândiaPateta confirma: o reitor da Unifesp, Ulysses Fagundes Neto, esteve na Disney a trabalho. A CPI dos cartões quer ouvir agora o Pluto.Coisa de gênioA tática do governo é clara: decidiu-se superexpor Dilma Rousseff a ponto de ninguém mais querer ouvir falar da ministra quando chegar a hora de ouvi-la no Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.