''''O governador está coberto de razão''''

Ex-representante do DSV no Cetran, Antonio Carlos Therezo Mattos foi o único conselheiro que não concordou com a anulação das multas por desrespeito ao rodízio municipal de veículos.O senhor considera que o governador foi arbitrário ao dispensar o corpo do Cetran?Nada. O governador está completamente coberto de razão. Se fosse eu, faria a mesmíssima coisa. Quem é esse pessoal para anular as multas? Esses conselheiros não tinham legitimidade alguma para fazer aquilo. Eu já tinha avisado todos eles que isso poderia acontecer. Eu fui o único contra o anulação, perdi de 11 a 1. Mas, no final das contas, minha posição venceu, não é mesmo? Meu ponto de vista prevaleceu, depois dessa demissão em massa do conselho.O senhor sempre foi voz dissonante no conselho? Havia algum tipo de lobby para os conselheiros anularem as multas?Alguma coisa tinha, certeza. Só não posso falar lobby de quem, não dá para saber porque nunca me procuraram. O engraçado é que esses 11 conselheiros mudaram de posição duas vezes. Primeiro, eles queriam anular. Depois, o presidente da CET (Roberto Scaringella) veio aqui e deu um pito em todo mundo, e eles mudaram o voto. Mas aí voltaram a anular, de uma hora para outra, sei lá o motivo. Eu acho ótimo que todo mundo tenha sido dispensado, sabe. Até porque ganhamos apenas R$ 250 de salário, não dá nem para pagar a gasolina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.