Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

O inverno começou: veja como a estação mudará o clima de cada região do País

Período seco em boa parte do País começa nesta segunda-feira; Sul terá temperaturas abaixo da média e pode registrar episódios de geada

Marianna Gualter, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2021 | 13h16

O inverno começou oficialmente às 0h32 desta segunda-feira, 21. A estação dura até as 16h21 do dia 22 de setembro, quando começa a primavera. Neste ano, o período deve contar com chuvas abaixo da média no Sul e Sudeste, além de temperaturas acima do esperado no Centro-Oeste, Norte e Nordeste.

Nos Estados mais ao sul do País, as temperaturas ficam abaixo dos 22ºC e geadas devem acontecer. Mais ao Norte, apesar de raros, episódios de friagem podem ocorrer em Rondônia, no Acre e no Sul do Amazonas. O Estadão resumiu a previsão para cada região de acordo com informações fornecidas pelo Climatempo e pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Sul

Temperaturas abaixo da média vão atingir o leste de Santa Catarina e do Paraná, e o nordeste do Rio Grande do Sul. Além do tempo frio, as massas de ar de origem polar podem provocar a ocorrência de geadas em locais de maior altitude.

O início do inverno, porém, será marcado por altas temperaturas na faixa norte do Paraná. A área esfria com o passar das semanas, mas o calor volta em setembro. 

Em grande parte da região, a chuva será frequente, ainda que abaixo da média esperada para o período. 

Sudeste

Assim como no ano passado, boa parte da região enfrentará temperaturas acima da média durante o inverno - as exceções são o Espírito Santo e o norte de Minas Gerais.

Ao longo da estação, massas de ar frio podem reduzir a temperatura, principalmente em São Paulo e no sul de Minas. Os dias gelados, porém, não perduram e logo o sol volta a aparecer. 

O período tradicionalmente seco terá chuvas próximas ou ligeiramente abaixo da média.

Centro-Oeste

O tempo aberto e com temperaturas acima da média prevalece na região durante o período. As exceções são o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul, que podem ter breves variações na temperatura com a chegada de massas de ar frio. 

Como de costume, a estação seca deve reduzir a umidade relativa do ar, com valores diários abaixo de 30% e picos mínimos menores que 20%. A combinação de ar quente e seco, principalmente nos meses de agosto e setembro, favorece a ocorrência de queimadas e incêndios florestais. 

Geadas podem ocorrer no Mato Grosso do Sul. O Estado também terá chuvas levemente acima da média durante o mês de setembro. 

Norte

Poucas massas de ar frio conseguirão atingir a região. Por isso, a temperatura média deve permanecer acima do esperado para o período, com raros eventos de friagem em Rondônia, no Acre e no sul do Amazonas. 

Apesar de parte da região apresentar chuvas acima da média, o volume não será significativo. A combinação de baixa umidade com altas temperaturas favorece a incidência de queimadas e incêndios florestais, comuns entre a metade do inverno e o início da primavera. 

Nordeste

O calor aumenta ao longo da estação. A faixa mais ao sul será a mais afetada pelo fenômeno, com temperatura acima da média histórica. A exceção será o centro-leste da Bahia, onde as médias previstas podem ser ligeiramente menores que o esperado em setembro. 

No início da estação, a chuva será frequente na costa leste e na região norte - que abarca o norte do Maranhão e do Ceará, e o leste do Rio Grande do Norte e da Paraíba -, mas ela diminui de intensidade com o passar dos meses.

O tempo seco predomina no interior, sem a expectativa de chuva para a área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.