O jovem iogue da Fundação Casa

Sua identidade é número pintado nas toalhas do banheiro coletivo. Mas, quando quer estar sozinho, Kresley, de 18 anos, olha para dentro de si mesmo. A liberdade é cercada de muros e grades. Mas ele viaja em pensamento. "Me vejo na frente do inimigo e peço perdão. A mente me leva aonde eu quiser." Às vezes, traz más recordações - o abandono da mãe, o alcoolismo do pai, os crimes. Mas ele as devolve ao passado. O futuro cabe na sacola de pano onde guarda o que levará dali. A ele só o presente interessa. São ensinamentos da ioga, ministrada por voluntários desde setembro na unidade de internação grave da Fundação Casa, na Vila Maria, onde há 41 multirreincidentes. Em horas ruins, Kresley vai ao pátio, fecha os olhos e medita. "Não deixo nada estragar meu dia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.