''O marginal precisa ter medo, precisa ver a segurança''

José Antônio Caetano: diretor da HaganáA Haganá é conhecida pelo guarda-sol com o logo da empresa colocado na porta dos condomínios. A sensação de segurança é tão importante quanto o aparato eletrônico de um prédio?Com certeza. Claro que é imprescindível ter guarita blindada, câmeras, monitoramento 24 horas e contar com a ajuda dos moradores. Mas o marginal precisa ter medo também, precisa ver que ali naquele prédio a segurança é reforçada. Como deve ser a conduta da equipe de seguranças que cuida de um condomínio?A equipe tem de ter três pessoas. Uma para ficar na guarita, outra para ficar na porta do prédio e outra para fazer a ronda e poder suprir uma eventual ausência de algum dos outros dois funcionários. Qual a principal falha de segurança dos prédios de São Paulo?É a falha humana. Tanto dos moradores quanto dos funcionários. O controle remoto para abrir a garagem, por exemplo. Não pode mais ter isso: o aparelho pode ser facilmente roubado ou clonado. Os moradores também têm de cooperar, não podem autorizar a entrada de estranhos, como o entregador de pizza. E além disso, os funcionários dos condomínios quase não têm treinamento, nunca passaram por cursos, estão lá trabalhando na guarita há dez anos sem passar por nenhuma reciclagem. Isso facilita a ação dos marginais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.