O menino Iruan só retorna ao Brasil daqui a dois meses

O menino Iruan Ergui Wu, de oito anos, retido em Taiwan desde 2001, só deverá retornar ao Brasil em dois meses. A notícia, recebida pela deputada federal Maria do Rosário (PT/RS) hoje à tarde, em Brasília, em nome da Comissão Interinstitucional Pela volta de Iruan (que em chinês significa Boa Esperança), deixou desolados os parentes do garoto, no Rio Grande do Sul. A avó materna, Rosa Leocádia Ergui, que mora em Canoas, na Região da Grande Porto Alegre, preferiu não falar. Sua tia, Patrícia, que esperava o retorno de Iruan para as comemorações de Natal e ano novo, parecia não acreditar na notícia: "A angústia vai demorar mais ainda. Estamos com muitas saudades dele e esperávamos que até o final deste ano ele estivesse de volta" O novo complicador, agora, é que a sentença em última instância, que não admite mais recurso judicial dada pelo Superior Tribunal de Justiça de Taiwan, localizado em Taipei, na capital, ainda não foi entregue em Kaohsiung, cidade onde foi realizado o julgamento em primeira instância e onde moram Iruan e seu tio Wu-Huer Eam: "Nesses casos a Justiça taiwanesa é lenta demais", informou o diretor de Assuntos Consulares, Jurídicos e de Assistência a Brasileiros no Exterior do Itamarati, embaixador Adolf Westphalen. Ainda segundo Westphalen, conforme informações dadas pelo advogado da família brasileira em Taiwan, Hsu Wu-Pin, se o tio asiático de Iruan teimar em não entrega-lo à sua avó, Rosa Leocádia Ergui, ele poderá ser detido e pagar uma multa de até US$ 0 mil.A deputada Maria do Rosário disse que, a partir de agora, vai lutar para que Iruan volte antes do prazo estipulado: "Vamos pressionar, junto com o Ministério das Relações Exteriores, as autoridades de Taiwan para abreviar este prazo estipulado de dois meses".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.