O palhaço que virou campeão de votos

Apesar de ameaça do MP e de boatos sobre sua morte, Tiririca torna-se o deputado mais votado

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2010 | 00h00

Com quase 1,4 milhão de votos, o palhaço Tiririca, ou Francisco Everardo Oliveira Silva, do PR, tornou-se o deputado federal mais votado das eleições de ontem. Ao todo, Tiririca teve mais que o dobro de eleitores que o segundo colocado em São Paulo, Gabriel Chalita (PSB), e deve arrastar vários candidatos de sua coligação à Câmara dos Deputados.

Orientado pelo PR a evitar expor sua imagem antes da votação, o candidato tentou, inutilmente, driblar o assédio da imprensa. Tiririca, ou Francisco, chegou às 8h54 em sua zona eleitoral, Universidade Paulista (Unip) da Aclimação, em meio a um tumulto de câmeras, gravadores e microfones de jornalistas. Ele estava acompanhado de seu filho Everson Tirulipa, sua mulher, Nana Magalhães, e seu produtor, Joãozito.

A busca por discrição fez o humorista trocar o característico bonezinho colorido, a peruca loura e as roupas espalhafatosas por uma camiseta azul e calça jeans. Tiririca disse a jornalistas que é "humilde", garantiu que sabia ler - na sexta-feira o Ministério Público voltou a pedir a cassação de sua candidatura, sob alegação de que o Francisco é analfabeto - e avisou que só falaria como deputado depois de todos os votos serem apurados.

Morte anunciada. Questionado sobre suas "propostas concretas", caçoou: "De concreto, só o cimento."

Ontem, um boato sobre a morte de Tiririca correu redes sociais da internet. "Eu morriiiiiii", disse o candidato enquanto deixava a Unip, 12 minutos após entrar na universidade. "Canta, Florentina, canta!", pediam os que cercavam Tiririca, em referência à música que tornou famoso o palhaço de circo. E Tiririca cantou. Em seguida, sua assessora de imprensa colocou-o em um carro e os dois foram embora.

Tirulipa garantiu que seu pai estudou até a "2.ª ou 3.ª série". A mulher de Tiririca falou que as denúncias sobre o analfabetismo do marido eram "inveja da oposição" e Joãozito anunciou um DVD para os próximos meses.

Após a votação Tiririca foi a um flat, no bairro dos Jardins. "Eu preciso descansar. Estou muito esperançoso. Mas não quero comemorar antes da hora. Preciso mesmo descansar, vou viajar ainda hoje. Vou pra Fortaleza ver a família", disse o humorista eleito deputado.

Seguranças e recepcionistas do flat disseram que Tiririca é um hóspede discreto, que pouco sai de casa e quase não conversa com ninguém. Segundo vizinhos, o artista mora na cobertura.

Às 18h20, a reportagem ligou para o produtor de Tiririca, Joãozito, e informou que, àquela altura, o candidato já havia alcançado 200 mil votos. "Estamos chegando no aeroporto. A última vez que a gente viu no site, ele tinha 60 mil votos. Me ligue depois", respondeu Joãozito.

O segundo telefonema foi feito 20 minutos depois, quando Tiririca ultrapassou os 500 mil votos. "Olha, o Tiririca está muito "adrenalinado" (sic). Ele não está acreditando", comemora o produtor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.