O prejuízo de ser assaltado em São Paulo

O ladrão levou tudo. Dinheiro, documentos, talão de cheques, celular, chaves. Depois do susto do assalto, começa a dor de cabeça da burocracia. E mais prejuízo. Tirar a segunda via dos documentos, cancelar cartões, cheques e celulares e fazer novas chaves sai caro e leva tempo. A vítima vai gastar, em média, R$ 311,53. Mas este valor pode chegar até R$ 440,71. Isso sem contar o dinheiro das conduções para ir até os postos de atendimento. Para chegar à esse total, o JT levou em conta uma vítima que tenha perdido os originais do RG, CPF, carteira de motorista, título de eleitor, passaporte, carteira de trabalho, cartão do banco, talão de cheques, cartão do plano de saúde, celular e as chaves de casa e do carro. Se ela tiver boletim de ocorrência, cópia das chaves roubadas e só um talão de cheque nos bancos mais baratos, gastará o valor mínimo com taxas, incluídas fotos 3x4 e 5x7. Se não tiver o boletim, precisar trocar a fechadura e for cliente dos bancos mais caros, a conta aumenta em cerca de R$ 130, também com as fotos. Leia mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.