O que ELES fazem no banheiro

-Como assim, gelo no mictório?! - Assim, ué, várias pedras, uma montanhinha, tipo um mini-iceberg. - E por que eles colocam "tipo um mini-iceberg" no mictório? Por causa do cheiro? - Deve ser. O frio retém as moléculas, o odor não se espalha, sei lá... - Que nojo! - Nojo nada. Nojentas são aquelas cordinhas da descarga, que você vai percorrendo com os olhos, procurando a parte limpa, mas tá tudo preto. Já imaginou quantas... - Ai, para... Fala mais do gelo no mictório, que eu fiquei curiosa. Nunca imaginei uma coisa dessas. - Lembra aquela churrascaria que a gente foi semana passada? - Aquela cara? - É. Pelo menos uns R$ 5 do preço do rodízio eles devem gastar em gelo. Cê tinha que ver, um mictório de uns três metros de comprimento, cheinho! Parecia instalação da Bienal: sem título, gelo sobre inox... - Mas não derrete? - Derrete, e isso que é legal! Você mira numa pedra e ela some num instante. Ou então pode fazer um risco, assim, daqui pra lá, de lá pra cá. Dependendo do aperto, dá até pra esculpir um Smile. - Não acredito. Então vocês, quando vão ao banheiro... - Pois é. Ser homem tem dessas vantagens. - Grande vantagem... - Vai dizer que você não tá achando legal? - Eu tô é curiosa. Diz aí: se derrete tão rápido, como eles fazem quando vira tudo água? - Sei lá, botam mais. - Mas a gente nunca vê um mini-iceberg passar sobre um carrinho de mão, pelo meio do restaurante. - Isso aí é verdade. Aliás, deve ser pra evitar isso aí que em alguns lugares os caras põem logo uma barra. No Frevinho, por exemplo... - Tem uma barra de gelo dentro do mictório do frevinho?! E você nunca me falou nada. - E por que diria? - Porque é bizarro! Escuta, e com a barra ali, não respinga? - Você tem que ter método, né? É tudo uma questão de ângulo. Tipo sinuca. Mas quando começaram com esse negócio de gelo, não faz muito tempo, a gente já vinha treinando há anos, empurrando bolotas de naftalina, partindo bitucas de cigarro... - Como vocês são infantis. - Somos mesmo. - Aposto que se sentem poderosos derretendo cubinhos de gelo dessa forma. - E você não sentiria? - Claro que não. - Aposto que sim. Sabia que quando o Freud escreveu que as mulheres tinham inveja do pênis, ele deu como exemplo a nossa capacidade de apagar uma fogueira à distância, enquanto a mulher teria que se colocar em cima e ia acabar queimando a bunda? - Onde o Freud escreveu isso? - Não lembro. Chegando em casa a gente dá um google: "Freud + inveja + pênis + fogueira". - Vamos pedir a conta? - Vamos. Deixa só eu ir no banheiro, antes. - Cê já foi, aqui? - Nunca. Breve silêncio. - Depois me conta? - Pode deixar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.